A Imaculada Conceição de Maria

“Ó Virgem imaculada e inviolável, Virgem casta e incorruptível, Virgem isenta de toda imundície e de toda mácula do pecado, Virgem esposa de Deus e nossa rainha, Virgem que, por uma gloriosa e maravilhosa concepção, gerastes o homem-Deus, acolhei minha oração.”(1)

Tal é a força da verdade sobre a Imaculada Conceição de Maria que, nos primeiros tempos da Igreja, Santo Efrém cantava com entusiasmo os louvores acima. E São Tomás de Vilanova ensinava:
Convinha que o santuário de Deus, a mansão da sabedoria, o relicário do Espírito Santo, a urna do celestial maná, não tivesse a menor mancha”.
São Pio X afirma:
No mistério da Imaculada Conceição, quantos auxílios eficazes encontramos, em sua própria fonte, para conservar as virtudes e as praticar como convém!”
E diz ainda São João Paulo II:
“A Maria, que teve o privilégio de não estar sujeita ao poder do mal e do pecado um instante sequer, os cristãos contemplam como o modelo perfeito e a imagem da santidade, à qual devemos chegar pela ajuda da graça do Senhor”.

Continue lendo “A Imaculada Conceição de Maria”

Expande-se a Adoração Perpétua

Vão se difundindo em todo mundo católico as capelas de adoração eucarística perpétua. Geralmente são espaços anexos às igrejas paroquiais onde o Santíssimo Sacramento está exposto continuamente por 24 horas

Pe. Rafael Ramón Ibarguren Schindler*, EP

Capela da Adoração Perpétua na Basílica Nossa Senhora do Rosário, dos Arautos do Evangelho

Os fiéis se comprometem a adorar ao Senhor em turnos fixos. Também chegam pessoas em horas que podem escolher de acordo com sua conveniência, mesmo que não estejam inscritas.

Esta prática devocional se tornou muito comum em quase todas as dioceses do mundo. Bento XVI já comemorava esta realidade no seu discurso de Natal de 2005: “é comovente ver a Igreja descobrindo a alegria da adoração eucarística e os frutos já se manifestam“.

Cem anos antes, São Pio X, conhecido como o Papa da Eucaristia, por haver permitido às crianças a possibilidade de comungar ainda na infância e aos fiéis a comunhão diária, chamou a  Adoração Perpétua “a obra mais sublime de todas as obras“.

Escreveu São Pedro Julião Eymard, fundador dos Sacramentinos:

Temos que tirar a Jesus Eucarístico do esquecimento para recolocá-LO no topo da sociedade cristã para que a dirija e a salve. Temos que construir um palácio, um trono, cercá-lo com uma corte de servidores fiéis, de uma família de amigos, de um povo de adoradores.”

Do que isso se trata? É necessário motivar os servidores, para que eles sejam bons amigos e adoradores fervorosos.

São Pedro Julião Eymard

Na história da igreja, vemos que até o século XII, o culto eucarístico foi limitado ao momento da celebração da Missa. Posteriormente, começaram as celebrações extra litúrgicas e públicas, sendo a mais significativa, a solenidade de Corpus Christi. Também mais tarde, outras formas de adoração como as quarenta horas, a adoração noturna ou os congressos eucarísticos.

A Adoração Perpétua, que teve a sua origem nos conventos e mosteiros, de onde foi permeando a esfera social, acolhida pelo clero secular e pelas próprias dioceses. Atualmente estima-se que em todo o mundo há cerca de 2.500 lugares com a adoração perpétua estabelecida.

O número impressiona, é uma bela conquista… mas poderia ser muito maior. Tanto mais que se comprovam os frutos nos lugares onde é eternamente adorado o Pão dos Anjos, que são: maior comparecimento e recepção dos sacramentos, muitos católicos que voltam à prática religiosa depois de terem se afastado, crescimento das vocações sacerdotais e religiosas, renovação da vida familiar, valorização da vida comunitária nas paróquias e maior participação nas pastorais…

Há um exemplo impressionante que foi muito difundido em sua época. Vale a pena registrá-lo aqui.

Foram abertas dez capelas de Adoração Perpétua na cidade de Juarez, uma das cidades mais perigosas do México devido a criminalidade, e o resultado foi extraordinário: no espaço de cinco anos (2010-2015) as taxas de homicídios foram reduzidas de 3.766 a 256 somente! É certo que a prática da adoração influenciou neste resultado!

Sono dos apóstolos no Horto das Oliveiras

Independentemente de tais resultados positivos, práticos e espirituais, Jesus nos espera sempre.

Ele permaneceu neste sacramento precisamente para estar com os homens. E os homens o deixam sozinho…

Impressiona a interpelação que faz Jesus a seus três íntimos Apóstolos no Getsêmani:


veio então aonde os discípulos estavam e os encontrou dormindo, e disse a Pedro: como não foi capaz de vigiar uma hora comigo?” (Mt 26, 40).

A cada fiel o Senhor faz a mesma pergunta; nos interroga com dor mas sem amargura e cheio de suavidade, como quem convida um amigo: “mas nem uma hora?”

O Santíssimo Sacramento é uma tábua de salvação para a nossa sociedade desviada. É também a Virgem… que nos traz a seu Divino Filho presente na Eucaristia. Há uma belíssima invocação Mariana: “Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento”. Ela foi o primeiro tabernáculo onde Jesus habitou durante nove meses.  Dando a Virgem sua carne e seu sangue, Maria nos dá a Eucaristia, remédio de imortalidade, em oposição ao funesto alimento que nos deu Eva.

Quando a humanidade se entregará para o jugo suave do Senhor que nos espera em tantos lugares onde está exposto? Quando isso acontecer, se poderá dizer que se realizou a súplica: “faça sua vontade na terra como no céu”.

Jesus nos adverte docemente para assistir à Missa de domingo. Entretanto, todos os dias, incansavelmente e sem se render,  nos atrai… tantas vezes em vão. No caminho de casa ao trabalho ou a escola, ou mesmo pelos lugares onde passamos, muitas vezes há um local onde está o Santíssimo Sacramento: uma igreja, uma capela, um oratório. E nem uma hora podemos acompanhá-lo, nem cinco minutos, nem mesmo um?

A presença real de Cristo no meu caminho é um imerecido privilégio e uma responsabilidade enorme!

Concluímos com uma reflexão: o poeta Virgílio disse “fugit irreparabile tempus” (o tempo foge irremediavelmente). Com efeito, os anos passam e vão deixando suas marcas, enquanto os corações de pedra insistem em não se beneficiar dos benditos eflúvios que partem da Hostia consagrada.

Inevitavelmente, chegará também o dia do acerto de contas…

Queira Deus que neste dia, pelos rogos de Maria Santíssima, o Rei de tremenda Majestade nos salve, pois é Ele uma fonte de piedade, como reza o hino latino Dies Irae:

Rex tremendae maiestatis, salvandos salvo livre, salva-me, fons pietatis.

Assunção, Paraguai, setembro de 2018

_____________________

*Conselheiro de Honra da Federação Mundial das Obras Eucarísticas e da Igreja.

Nossa Senhora do Carmo

Em 16 de julho celebra-se a Festa de Nossa Senhora do Carmo, cujas primeiras devoções remontam a discípulos de Santo Elias por volta do ano 800 AC. Mas foi o Papa Papa Inocêncio IV em 1247, que aprovou a regra e a constituição da Ordem do Carmo

Paroquia dos Santos Mártires – Málaga, Espanha

A Ordem do Carmo é o símbolo da vida contemplativa, da busca incessante da graça de Deus. Carmelo em hebreu significa “pomar bem cultivado”, “jardim fértil” e “vinha de Deus”.

Em suas fileiras, ao longo dos séculos floresceram inúmeras almas santas, entre elas: São Simão Stock, Beato Francisco Palau, Santa Teresa de Ávila, São João da Cruz, Santa Terezinha do Menino Jesus, Santa Edith Stein, entre outros.

A tradição da Ordem põe nos lábios de São Simão Stock a autoria de uma linda oração à Virgem Maria. O texto mais antigo conhecido encontra-se no Officium rhythmicum, manuscrito guardado na biblioteca universitária de Cambridge e que foi escrito depois do ano de 1507.*

Esta oração é o Hino ‘Flos Carmeli’, atribuído, portanto, a São Simão Stock (1165-1265), o qual foi entoado originalmente pelos carmelitas para a festa desse santo e, desde 1663, para a Festa de Nossa Senhora do Monte Carmelo.

Fátima e a Ordem do Carmo

Há pouco celebramos o centenário das Aparições de Fátima. Lembramos que na última das aparições, em 13 de outubro, Nossa Senhora se mostrou como Nossa Senhora do Carmo**, conforme descrito pela Ir. Lúcia:

“(…)Junto ao sol apareceu a Sagrada Família: São José, com o Menino Jesus nos braços, e Nossa Senhora do Rosário. Traçando três vezes no ar uma cruz, São José abençoou o povo e o Menino Jesus fez o mesmo…Em seguida, apareceu Nossa Senhora do Carmo, coroada Rainha do Céu e do Universo, com o Menino Jesus ao colo.(…)”

A devoção dos Arautos do Evangelho à Virgem do Carmo é tão entranhada, que o nome dado à sua ordem clerical foi de Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli.

Vale a pena também lembrar que foi na Basílica do Carmo em São Paulo, no ano de 1967, que o fundador dos Arautos, Mons. João Scognamiglio Clá Dias, encontrou pela primeira vez a Dr. Plinio Corrêa de Oliveira, o qual foi seu mestre, orientador e formador de sua vocação e missão.

Recepção de hábito/escapulário de novos seminaristas dos Arautos

Eis algumas das razões que unem os Arautos à Ordem do Carmo e por isso são revestidos do Escapulário, além de promoverem sua devoção e seu uso.

Peçamos, nesta data tão importante que a Virgem do Carmo, Rainha do Céu e da terra, ouça nossas súplicas e realize o quanto antes sua promessa em Fátima:

“Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará!”

Acompanhe abaixo a letra e a melodia do belíssimo cântico, o ‘Flos Carmeli’.  

             

(clique abaixo para ouvir)

Flor do Carmelo Vinha florida, esplendor do Céu, Virgem fecunda, és singular

Doce e bendita, ó Mãe puríssima, aos carmelitas, sê tu propícia, Estrela do Mar

Raiz de Jessé, de brotos floridos, queiras, feliz, ao céu pelos séculos nos elevar

Entre os abrolhos, viçoso lírio, guarda de escolhos, o frágil ânimo, Mãe tutelar

Forte armadura Frente o adversário, Na guerra dura, o escapulário vem nos guardar

Nas incertezas, conselho sábio; nas asperezas, consolo sólido queira nos dar

Veja também: Oração para alcançar o amor da Virgem do Carmo

_____________________

* http://carmeloemmissao.blogspot.com.br/2011/06/flos-carmeli-flor-do-carmelo.html
** MONS. jOÃO SCOGNAMIGLIO CLÁ DIAS, Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará. Instituto Lumen Sapientiae, São Paulo, 2017, cap. 7, pag. 76.

Como se prepara uma Cerimônia de Devoção do Primeiro Sábado?

São centenas as paróquias onde o Apostolado do Oratório promove a devoção dos Primeiros Sábados, nas quais a Virgem Santíssima derrama suas graças abundantemente. Entretanto, os preparativos dessas cerimônias demandam muito esforço, dedicação e fervor. Para conhecermos melhor como são esses preparativos, trazemos aqui o depoimento de alguns de nossos coordenadores

Por Josiane Lazzarin, supervisora na Paróquia Santa Terezinha do Menino Jesus em Cascavel/PR

Em nossa paróquia, nos reunimos toda última quinta feira do mês, para organização da Comunhão Reparadora, liturgia e para troca de experiências com a passagem do oratório nas casas.

Apesar de muitas pessoas trabalharem e estudarem à noite, nosso grupo se reúne sempre. Nunca falhamos. Até mesmo algumas mães trazem seus filhos, mas fazem questão de participar. Distribuímos as funções da cerimônia com as coordenadoras presentes na reunião e procuramos convidar sempre mais pessoas, pois sabemos muito bem como Nossa Senhora quer que esta devoção seja feita pelo maior número possível de fiéis.

Um ponto importante que ressalto, é que sempre rezamos por todos aqueles que estão escalados para funções na cerimônia. Pedimos que Nossa Senhora olhe com especial atenção por estes, para que também tudo saia conforme o desejo da Mãe de Deus.

No dia do terço as famílias participantes dos grupos marcam presença. Entramos na igreja em procissão com os oratórios e com as capas laranja, símbolo do Apostolado do Oratório.

Padre Adriano

O nosso pároco, padre Adriano,  sempre que possível canta durante o terço (no início, no intervalo dos mistérios e no final, quando nos consagramos à Nossa Senhora).

Mesmo organizando tudo sempre temos uma ansiedade, como se o inimigo quisesse tirar nossa coragem, nos desanimar, etc. Mas rezamos e Nossa Senhora vem e nos fortalece.

Clique acima para baixar o texto da Meditação de julho

Por Liene Arminda de Oliveira, supervisora da Paróquia São Miguel Arcanjo, Riacho Fundo I, Brasilia/DF

Preparando para a devoção reparadora do Primeiro Sábado!

Somos no total um grupo de 43 oratórios. Nos reunimos na última quarta feira do mês na sala de reuniões da igreja ou na casa de uma de nós.  Primeiro rezamos o terço, fazemos uma chamada de presença e após ser redigida a Ata, lemos e aprovamos. Este momento é muito importante para registrar a presença e tudo o que tem ocorrido.  Tratamos das famílias que recebem os oratórios e qualquer problema tentamos resolver lá mesmo.

No sábado chegamos uma hora antes da missa. Preparamos o Oratório Base, (o grande que guarda os pequenos)  sentamos todas juntas, de uniformes e com as capas laranja.

Rezamos o terço, cada uma de nós um mistério. Fazemos a meditação que nos é enviada pelos Arautos. Na missa, entramos em procissão! Cada qual com o seu oratório na mão.  E também na missa, temos funções a cumprir na liturgia (comentários, salmos, leituras e preces).

É um  trabalho lindo que envolve toda a comunidade e para as famílias que recebem os oratórios, um conforto em meio a tantas tribulações.

Com a  presença dos oratórios nas casas acontecem verdadeiros milagres!  E muitos testemunhos de  conversão. Esses testemunhos, bem como as graças recebidas pelas famílias que recebem os oratórios, são lidos no final da missa. Sempre são muito comoventes e só se veem pessoas enxugando as lágrimas…

Vale registrar que com a ajuda dos Arautos que deram o Curso de Consagração a Virgem Maria, houve uma ocasião em que foram consagradas 550 pessoas no mesmo dia, num total já de 730 pessoas consagradas, todas registradas na paróquia.

Por Ana Maria de Souza, supervisora da Paróquia Santana em Posse/GO

 

Salve Maria! Nos reunimos toda última segunda feira do mês.

No primeiro momento fazemos a reza do Santo Terço, depois passamos a fala para cada coordenador sobre como está o acompanhamento às famílias (como anda o oratório, problemas nas famílias, como fazer para superar as dificuldades enfrentadas.

Falamos sobre problemas de saúde, dificuldades na circulação do oratório e até de famílias que estão precisando de ajuda financeira. Sobre esse ponto, em datas especiais  – no mês de Maria, aniversário do oratório, Natal, quaresma, entre outros – programamos um  gesto concreto, onde levamos alguma ajuda financeira ou em alimentos para algumas dessas famílias em necessidade.

No final, distribuímos as atividades do primeiro domingo* – organizar a igreja, ornamentar o andor, liturgia, etc. Encerramos com uma oração e a equipe da liturgia ainda permanece um pouco mais para os detalhes da liturgia.

Só tenho que testemunhar que toda essa atividade, apesar de exigir muito de todos nós, tem sido muito gratificante. Pois saber que estamos propagando e levando a mensagem da Mãe de Deus a tantos lares e as graças que são dadas a todas as famílias, compensam em muito todo o esforço.

“Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”

As palavras da Santíssima Virgem em Fátima são mais atuais do que nunca.

Se você deseja praticar esta devoção, procure seu pároco para implantá-la em sua paróquia. Ou se preferir, pode fazê-la em casa com sua família. Veja aqui como proceder.

Que mais e mais almas atendam este pedido da Mãe de Deus e que se cumpram o quanto antes sua promessa:

“Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!”

______________________

*Também é permitido realizar essa devoção aos domingos, conforme revelação a irmã Lúcia: Na Vigília de 29 para 30 de maio de 1930, Nosso Senhor, falando à Irmã Lucia, resolveu ainda outra dificuldade: “Será igualmente aceita a prática desta devoção no domingo seguinte ao primeiro sábado, quando os meus sacerdotes, por justos motivos, assim o concederem às almas”. (cf. “Memórias e Cartas da Irmã Lucia”, p. 410).

Veja também: Mensagem de Mons. João Clá ao público presente na Catedral da Sé em São Paulo

Meditação Primeiro Sábado de junho 2018

III Mistério Luminoso
Anúncio do Reino e chamamento à conversão

O Coração que nos ama até o fim

Fonte de confiança inabalável

Cada um de nós possui um coração que pulsa dia e noite e discerne com clareza os próprios gostos e preferências. No entanto, quão diferente é o Coração adorável de Jesus, humano e, ao mesmo tempo, divino! Jamais qualquer movimento deste Coração destoará dos desejos da Santíssima Trindade.

Uma vez criado, uniu-Se aos planos que o Pai, o Filho e o Espírito Santo tinham para Ele, e manifestou a Deus o mais perfeito e sublime amor, penetrado de respeito, adoração e submissão.

Um Coração feito de amor ilimitado, que conhece nossas misérias e debilidades, Ele tudo tolera, compassivo, sem nunca diminuir seu amor, apesar das inúmeras ocasiões em que Lhe damos motivo para isso.

Oração Preparatória

Ó Coração Imaculado de Maria, fornalha ardente de amor ao Sagrado Coração de Jesus, alcançai-nos as graças necessárias para bem meditarmos neste luminoso mistério de nossa Fé, considerando o infinito amor que o Coração de vosso Divino Filho tem por todos e cada um de nós.

Fazei, ó Mãe, com que saiamos desta meditação mais agradecidos a este amor divino e mais decididos a correspondermos plenamente a ele.  Amém.

clique na foto acima e baixe o texto completo da meditação

Veja também: Cerimônias de Devoção do Primeiro Sábado pelo Brasil

Dr. Plinio comenta: Santa Joana D’ Arc, um grande guerreiro!

Uma simples camponesa, com apenas 17 anos de idade, assume o comando de exércitos e salva sua pátria de um desaparecimento inglório

Certas lendas parecem-se tanto com a realidade a ponto de levantar a pergunta: “Será, de fato, simples lenda?”

Em sentido contrário, certas narrações históricas revestem-se de tantos aspectos surpreendentes que suscitam uma desconfiança: “Mas isto é mesmo real?”

Um dos mais expressivos exemplos do segundo caso é a vida de Santa Joana d’Arc, uma das maiores epopéias da História.

São desconcertantes os traços de sua curta existência. Seriam mesmo inexplicáveis abstraindo-se a graça de Deus, que transformou essa delicada virgem camponesa em guerreira intrépida e fez de seu nome uma saga, um mito, um poema.

No vídeo a seguir, Dr. Plinio comenta a saga da vida desta santa cuja festa se comemora em 30 de maio.

Veja mais sobre a vida de Santa Joana D’ Arc no artigo: Uma saga, um poema, um mito