Somos filhos de Deus? (parte II)

E nos fez mercê de preciosas e ricas promessas, para assim nos fazer partícipes da natureza divina”.
(2 Pe 1, 4)


A graça santificante

Em forma de proposição clara e simples, expor-se-á em seguida a doutrina fundamental sobre a natureza da graça, explicando depois palavra por palavra*.

Ei-la: A graça santificante é um dom divino, uma qualidade sobrenatural infundida por Deus em nossa alma, que nos dá uma participação física e formal da própria natureza divina, tornando-nos semelhantes a Ele em sua própria razão de deidade. Segue a exposição detalhada dessa magnífica proposição.

Continue lendo “Somos filhos de Deus? (parte II)”

O Filho Pródigo: Justiça e Misericórdia

IV Domingo da Quaresma
(Domingo Laetare)

Analisando os atos de Deus sob o mero prisma da humana justiça, difícil se torna compreendê-los. Na parábola da Liturgia de hoje, enquanto o egoísmo se revolta, a justiça e a misericórdia se osculam num dos mais belos exemplos do Evangelho. Como melhor degustá-lo? Eis o objetivo deste artigo

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP

A parábola do filho pródigo

A pérola de todas as parábolas

De maneira singela, mas com beleza literária insuperável, a parábola em questão nos coloca diante do entrechoque das várias justiças. Sua concisão e extraordinária riqueza de colorido, abordando matéria tão viva e retratando através de fluida analogia muitos atos de nossa existência, tornam facilmente perceptível o fundo da lição proferida pelo Divino Mestre. Vamos, porém, empenhar-nos em ressaltar aspectos pouco comentados da mesma: os extremos opostos dos dois juízos — o do pai e o do filho maior.

Temos diante dos olhos uma das mais eloquentes páginas do Evangelho, considerada como a pérola de todas as parábolas. Ela é, de si, um pequeno evangelho. Sem dúvida alguma, o cerne da parábola consiste em colocar ao alcance de qualquer inteligência, até das menos favorecidas, a pulcritude da bondade de Deus em perdoar ao pecador arrependido com exuberante e alegre solicitude. O pai, neste contexto, representa Deus.

Continue lendo “O Filho Pródigo: Justiça e Misericórdia”

Confiança

Trazemos a nossos leitores um pensamento de Monsenhor João Clá Dias, sobre a importância da confiança no momento da confissão, com vistas a nos preparar para a cerimônia de devoção do Primeiro Sábado, que se dará no próximo fim de semana

Confiança!

Santo Agostinho afirma que: “O pior do pecador não é o pecado cometido, o pior do pecador é quando ele perde a confiança em Deus”.

Por isso, tenhamos a compenetração de que qualquer que seja a circunstância, desde que saibamos pedir perdão, como está no Pai Nosso, nós obtemos perdão e, ainda, obtemos graças para enfrentar situações piores.

Continue lendo “Confiança”

Como fazer um bom exame de consciência?

No próximo fim de semana faremos a devoção dos Primeiros Sábados. Devoção esta pedida pela Santíssima Virgem em Fátima

Confissões durante cerimônia de primeiro sábado na Basílica dos Arautos

 Dirigindo-se à Ir. Lucia, tendo o Menino Jesus a seu lado, Nossa Senhora pediu aos fiéis e a toda humanidade, que durante cinco meses, no primeiro sábado:

– se confessassem*;
– recebessem a sagrada comunhão;
– rezassem um terço;
– fizessem quinze minutos de companhia a Ela meditando nos mistérios do rosário com o fim de desagravar seu Imaculado Coração.

Para àqueles que praticassem essa devoção, prometeu a Santíssima Virgem assisti-los na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação de suas almas.

Para ajudar nossos leitores a fazer uma boa confissão, publicamos o vídeo abaixo, onde o Pe. Carlos Adriano dos Arautos do Evangelho, trata sobre o exame de consciência bem feito.

Assista todo o conteúdo sobre o tema da confissão e do exame de consciência no site da TVArautos: http://www.arautos.org/tv/interna/channel/74.html

Veja também:

Como rezar bem o Rosario
Eucaristia, eixo da piedade católica


__________________

* Nossa Senhora permitiu que essa confissão fosse feita em até oito dias, antes ou depois, do Primeiro Sábado.

Retiro Espiritual em Serra Negra/SP

Membros do Apostolado do Oratório de São Paulo e cooperadores dos Arautos do Evangelho fizeram um retiro espiritual inaciano na aprazível cidade de Serra Negra

Os Retiros Espirituais Inacianos, também conhecidos como Exercícios Espirituais, foram criados por Santo Inácio de Loyola, Fundador da Companhia de Jesus.

Santo Inácio partia do pressuposto de que, assim como necessitamos exercitar o nosso corpo para termos uma boa saúde, devemos também exercitar a nossa alma, por meio da oração, da meditação e da contemplação, para sermos espiritualmente sadios.

Nesse sentido realizou-se, de 25 a 27 de maio num hotel fazenda em Serra Negra, o Retiro Espiritual pregado por Sacerdotes Arautos para Terciários e membros do Apostolado do Oratório.

O local, em meio à bela vegetação das montanhas, presta-se muito ao recolhimento. Retirarmo-nos dos afazeres e preocupações do dia a dia para, em um clima de silêncio e reflexão, meditarmos nas grandes verdades que dizem respeito à nossa salvação eterna e ao nosso relacionamento com Deus, fim último e supremo da nossa existência.

É a ocasião em que, com as luzes do Divino Espírito Santo, que fala no íntimo de nossos corações, analisamos a nossa vida, os nossos atos, identificamos nossos pontos fracos e fazemos propósitos firmes de emenda. Ocasião em que aproveitamos também para fazer uma boa confissão e assim pôr em ordem a nossa alma, confiantes sempre na infinita misericórdia de Deus e no auxílio de sua Mãe Santíssima.

Tudo isso feito na presença do Santíssimo Sacramento, que fica exposto durante todo o dia, desde o término da Missa da manhã até o início da Missa da noite.

As fotos abaixo falam por si.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que disse Nossa Senhora na última aparição em Fátima?

O ciclo das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos em Fátima, Portugal, encerrou-se no dia 13 de outubro de 1917. Na manhã fria desse dia uma chuva torrencial tinha transformado a Cova da Iria num imenso lamaçal. Diante de uma multidão de aproximadamente 70 mil pessoas

Ir. Alcidio Miranda, EP

Nossa Senhora aparece às três inocentes crianças. É a Irmã Lúcia quem nos relata o que se seguiu:

“Pouco depois, vimos o reflexo da luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira (ou azinheira, é uma espécie de carvalho).

– Que é que Vossemecê me quer?

 Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias.

– Eu tinha muitas coisas para lhe pedir. Se curava uns doentes e se convertia uns pecadores, etc…

 Uns sim, outros não. É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados.

Continue lendo “O que disse Nossa Senhora na última aparição em Fátima?”