O que disse Nossa Senhora na última aparição em Fátima?

Por Ir. Alcidio Miranda, EP. O ciclo das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos em Fátima, Portugal, encerrou-se no dia 13 de outubro de 1917. Na manhã fria desse dia uma chuva torrencial tinha transformado a Cova da Iria num imenso lamaçal. Diante de uma multidão de aproximadamente 70 mil pessoas.

Nossa Senhora aparece às três inocentes crianças. É a Irmã Lúcia quem nos relata o que se seguiu:

“Pouco depois, vimos o reflexo da luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira (ou azinheira, é uma espécie de carvalho).

Continue lendo “O que disse Nossa Senhora na última aparição em Fátima?”

O início da vitória!

08 de setembro – Festa do Nascimento de Nossa Senhora

Bendito o dia em que Nossa Senhora nasceu; benditas as estrelas que a viram pequenina; bendito o momento em que seus pais constataram o nascimento d’Aquela que, permanecendo sempre virgem, fora chamada a ser a Mãe do Salvador!

Plínio Corrêa de Oliveira

Por que se festeja o aniversário de alguém? A razão é muito simples: o aniversário de uma pessoa representa o momento em que esta entrou no cenário da vida, o momento em que a sociedade humana se enriqueceu com mais uma presença.

Cada nascimento constitui um favor, uma graça de Deus, porque todo homem — por mais que seja concebido em pecado original ou traga alguma deficiência de família — é uma criatura de grande valor. E essa criatura representa um enriquecimento altamente ponderável para a humanidade.

Continue lendo “O início da vitória!”

Os Católicos não adoram a Nossa Senhora?

🤔Porque os Católicos não adoram a Nossa Senhora?🤔

🙏Saiba responder a esta pergunta e ser um católico esclarecido e mais devoto de Maria!🙏

⚜️ Aula ao Vivo – 8 de Setembro – 20h27 ⚜️

No dia do aniversário de Maria Santíssima, 8 de setembro, o Pe. Alex Brito, esclarecerá este tema 🔥Ao VIVO com perguntas e respostas! 📝

🎥 Aula ao Vivo 100% online e 100% gratuita 🆓

Clique no link e participe!👇

https://bityli.com/live-nossa-senhora

A correção fraterna, uma opção ou um dever?

XXIII Domingo do Tempo Comum

Quem não corrige seu próximo causa dano não somente a ele, mas também a si próprio. Ver-se-á privado dos méritos e benefícios do cumprimento desse dever, e acabará por escandalizar os que constatam sua negligência

Mons. João S. Clá Dias, EP

 

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: 15 “Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, a sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão. 16 Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. 17 Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um pecador público. 18 Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na Terra será ligado no Céu, e tudo o que desligardes na Terra será desligado no Céu. 19 De novo, Eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na Terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está nos Céus. 20 Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, Eu estou aí, no meio deles” (Mt 18, 15-20).

A correção, grande meio de salvação

Santo Afonso Maria de Ligório escreveu uma bela obra intitulada A oração, grande meio para alcançarmos de Deus a salvação. Seu conteúdo é preciosíssimo e irrefutável. Numa de suas páginas, o Santo chega a afirmar que “quem reza, certamente se salva e quem não reza, certamente será condenado”.

Continue lendo “A correção fraterna, uma opção ou um dever?”

Meditação do Primeiro Sábado setembro 2020


4º Mistério Doloroso. Jesus carrega sua cruz até o Calvário. Sinal do nosso triunfo e salvação. Em setembro iremos considerar o 4º Mistério doloroso do Rosário – Jesus carregando sua Cruz até o alto do Calvário – tendo em vista a Festa da Exaltação da Santa Cruz, celebrada neste mês. O símbolo glorioso dos cristãos, a fonte de nossa esperança e de nossa salvação eterna era um instrumento de castigo e de humilhação, antes do holocausto redentor de Jesus no Gólgota. Depois da Paixão, tornou-se o nosso sinal de perene triunfo. É pela Cruz que chegamos à Luz imorredoura do Céu.

Continue lendo “Meditação do Primeiro Sábado setembro 2020”

“Per crucem ad lucem!”

XXII Domingo do Tempo Comum

É a dor inevitável em nossa existência? Pode o fiel encontrar a verdadeira felicidade nesta vida? No que consiste ela?

Monsenhor João S. Clá Dias, EP. Fundador dos Arautos do Evangelho

 

Os antecedentes

Em sua infinita bondade, aprouve a Deus deixar inscritos no universo reflexos visíveis de suas perfeições invisíveis, para através deles os homens chegarem mais facilmente ao conhecimento de seu Criador. “Narram os céus a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos” (Sl 18, 2), canta o salmista. Um dos predicados divinos manifestados de maneira admirável na natureza é, sem dúvida, a inesgotável dadivosidade.

Com efeito, para justos e pecadores, para bons e maus, a cada dia nasce radiante o Sol, com renovada e deslumbrante beleza, proporcionando vida às criaturas. Sem cessar, brotam em profusão das nascentes as águas cristalinas que dessedentam homens e animais, alimentam rios e mares onde vive uma multidão incontável de seres; as chuvas irrigam regularmente toda a terra, as árvores dão seus frutos com abundância e, assim por diante, tudo obedecendo a uma majestosa sincronia.

Continue lendo ““Per crucem ad lucem!””