Rosário: verdadeiro tesouro de bençãos inapreciáveis

NSRosarioA Santa Igreja celebra no dia 7 de outubro a festa de Nossa Senhora do Rosário, instituída pelo Papa São Pio V com o intuito de manifestar de maneira jubilosa a gratidão da Igreja militante para com a Santíssima Virgem Maria, cuja solícita intercessão foi que determinou a vitória da causa Católica na batalha de Lepanto.

O Rosário ocupa um lugar privilegiadíssimo na história da piedade Católica porque une o fiel a Nossa Senhora atraindo toda sorte de graças celestiais, ademais de afugentar o demônio.

Sendo um excelente meio de venerar a Santa Mãe de Deus, é incalculável a torrente de bençãos que através da recitação do Rosário os católicos no mundo inteiro obtiveram de tão boa Mãe. Neste sentido vemos inúmeros Papas e Santos que não se cansam de elogiá-lo. A própria Santíssima Virgem aparecendo a São Domingos, entregou-lhe o Rosário. De modo particular, nas aparições de Fátima em Portugal no ano de 1917, recomendou ao homens com insistência, a recitação diária do Terço.

Peçamos com todo empenho de um modo especial neste 7 de Outubro a graça de nunca nos separarmos do Terço, sabendo que embora rezado por almas frágeis, o Rosário é a prece dos fortes.

Veja também: Os benefícios do Rosário

Celebrações pela canonização do Beato Anchieta no Brasil

Brasília (Terça-feira, 01-04-2014, Gaudium Press) A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida todas as igrejas e comunidades do pais para que toquem os sinos nesta quarta-feira, dia 2 de abril, por ocasião da canonização do Beato José de Anchieta.

O bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, enviou uma carta aos bispos onde ressalta que este momento será um “gesto de alegria, gratidão e comunhão por estar inscrito entre os santos, o Apóstolo do Brasil”.

No Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, será celebrada no dia 4 de maio, às 8h, uma Santa Missa de Ação de Graças pela canonização do Apóstolo do Brasil.

Já na capital, o Cardeal Odilo Pedro Scherer convidou o clero arquidiocesano para acolher a canonização com manifestações de “júbilo e ação de graças a Deus”, solicitando que os sinos toquem, simultaneamente em todas as paróquias, às 14h, durante cinco minutos.

Relíquia do Beato José de Anchieta: Fêmur exposto na Igreja do Pátio do Colégio, em São Paulo

No dia 6 de abril, haverá procissão saindo do Pátio do Colégio, às 10h15, com destino à Catedral da Sé, onde será celebrada uma Missa Solene, às 11h.

Na capital Salvador, na Bahia, o Arcebispo e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, celebrará uma Missa, às 18h, na Catedral Basílica.

Já na Arquidiocese de Vitória, no Espírito Santo, será realizada uma Celebração Eucarística na Catedral Metropolitana nesta quarta-feira, 02, às 18h, presidida pelo Arcebispo Dom Luiz Mancilha Vilela. (LMI)

Comentar!

Veja também: O Pastor ama e conhece profundamente suas ovelhas

Igreja celebra hoje São Bernardo de Claraval, profundo devoto de Maria

Museu de Cluny, França

O grande São Bernardo, da família cirterciense, nasceu no Castelo de Fontaine em 1090, perto da cidade de Dijon, na França. De nobre origem, seguiu a carreira religiosa, enquanto seus irmãos tornaram-se militares. Apesar de monge contemplativo, foi abade, eminente pregador, fundador de vários mosteiros, prior, teólogo, místico e conselheiro de importantes autoridades eclesiásticas e civis, fogoso polemista e pacificador.

Como escritor, notabilizou-se pela autoria de livros que se tornaram populares em toda a Cristandade, como o Tratado do Amor de Deus e Comentário ao Cântico dos Cânticos. Além de inúmeras obras, escreveu também milhares de cartas e mais de 300 sermões.

Porém, baseando-nos em uma de suas mais belas frases, podemos concluir que a fonte de tantos dons, virtudes e qualidades seja a graça, através de Maria Santíssima, de quem era profundo devoto:

“Busquemos a graça, mas busquemos por intermédio de Maria! Por Ela, acha-se o que se busca e não se pode ser desatendido.”

Bernardo de Claraval faleceu em 20 de agosto de 1153, sendo canonizado em 1174. Para honra e glória do orbe católico, foi declarado doutor da Igreja em 1830.

Comentar!

 

São João Bosco

 

São João Bosco, presbítero e Fundador

Dia 31 de janeiro, a Igreja celebra a memoria do Fundador dos Salesianos. Colocamos neste post, uma pequena biografia da vida deste grande santo.

joao boscoJoão Bosco nasceu em 1815 numa aldeia perto de Turim, de família muito pobre. Fez com muita dificuldade seus estudos e foi ordenado sacerdote em 1841. Dedicou-se à educação da juventude menos favorecida. Fundou, com este objetivo, a Congregação dos Salesianos e, posteriormente, a das Filhas de Maria Auxiliadora (cuja co-fundadora é Santa Maria Mazzarello). Alcançou grande celebridade como exímio educador e orientador de jovens. Seu tino político e sagacidade causaram admiração nos estadistas de seu tempo.

Na época de São João Bosco, a sociedade passava por grandes transformações: era o começo da Revolução Industrial. E a juventude, sempre ávida de novidades, afastava-se cada vez mais da religião.

Segundo o pensamento de Dom Bosco, o segredo da educação de um jovem é a confiança. Ele sempre conseguiu conquistar os corações dos seus alunos por meio do amor e da amizade. Mas, ao mesmo tempo, não descuidava de alertar para os perigos.

Grande devoto de Nossa Senhora, a Ela recorria especialmente sob a invocação de Auxiliadora dos Cristãos. Favorecido pelo Espírito Santo com vários carismas e teve muitas visões celestiais, especialmente sob a forma de sonhos, foi também exímio escritor, especialmente de obras apologéticas. Faleceu em 1888 e foi canonizado em 1934.

(Extraído do Boletim-informativo, Maria Rainha dos Corações; n°45)

Nosso e-mail: contato@oratorio.blog.arautos.org