Sou feliz por ser católica!

Uma das atividades apostólicas dos Arautos do Evangelho consiste em levar a imagem do Imaculado Coração de Maria de casa em casa; atividade essa conhecida como Missão Mariana.

004005

Os pedidos para essa Missão são vários! Os Arautos entram em contato com o Pároco que deseja realizar a Missão Mariana em sua comunidade. Logo, um grupo dos Arautos do Evangelho visita a Paróquia e percorrem as ruas tocando, porta por porta, e perguntando quem gostaria de receber a visita de Nossa Senhora.

001003

Cada porta que se abre, é uma história nova que se conhece: haverá alegrias e agradecimentos a Nossa Senhora pelos favores concedidos; em outras, haverá apreensões, dúvidas, sofrimentos… mas, em todas as casas que abrem as portas para Nossa Senhora, há uma graça, uma alegria que invade os corações convindando-os a abrirem-se para o Imaculado Coração de Maria, e a lembrança desta visita é uma semente que fica germinando nos corações, e os frutos, podemos conhecer com muita alegria, quando nossos amigos nos escrevem para relatar o que passou durante e depois da visita.

Veremos na carta que publicamos hoje, o quanto o bem é eminentemente difusivo. A família que recebeu Nossa Senhora fica feliz, e deseja ir com Nossa Senhora pelas ruas, afim de transmitir a outros a felicidade que recebeu ao abrir as portas para Nossa Senhora…

Sra. M.A.V.
Rio de Janeiro – RJ

Só Deus sabe quanto estávamos precisando desta visita de vocês. Sou feliz por ser católica! Queria dizer para vocês, Arautos, que a minha maior alegria foi o dia em que vocês chegaram na minha casa. Eu e meus familiares não esperávamos esta visita, e os rapazes chegaram tocando a trombeta e com a imagem da Mãe do meu Jesus. Foi grande a minha felicidade. Que presença espiritual Divina do céu! Harmonia, amor e paz de Jesus e Maria.

A minha filha Adalgisa, que é coordenadora do Oratório do Imaculado Coração de Maria, está cada dia mais feliz. Nós católicos, precisamos mostar o valor que é passar pelas ruas, apresentando a Nossa Senhora no Oratório.

Coordenadores do Oratório no interior de São Paulo

Entre janeiro e fevereiro, a dupla dos Arautos do Evangelho que se dedica a visitar os Coordenadores do Oratório das várias regiões do Brasil, reuniu-se com diversos grupos do interior de São Paulo.

Nessas visitas, os Arautos realizam conferências com os grupos do Oratório, onde tratam de temas relativos à devoção a Eucarística, à devoção a Nossa Senhora, como também, ajudam na organização dos Oratórios na cidade.

Para os Párocos, essa visita é muito importante pois, com o desabrochar do Apostolado do Oratório na Paróquia, muitas dúvidas práticas vão surgindo, tais como: quem deve levar o Oratório de uma família até a outra, é o Coordenador do grupo? Uma família pode mudar o dia em que recebe o Oratório? Ou, tal outra família quer ficar dois dias com o Oratório, e tantas outras dúvidas que vão surgindo, as quais, o Pároco não tem como resolver, daí, a grande ajuda que os Arautos do Evangelho oferecem aos sacerdotes.

Abaixo, colocamos a fotografia de alguns grupos que foram visitados pela dupla dos Arautos:

Nova Europa - Jan. 2010Em Nova Europa, Diocése de São Carlos, os Arautos visitaram o grupo do Oratório da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus.

A visita realizou-se no último dia 25 de janeiro, dia em que a Igreja celebra a conversão de São Paulo.

O tema da reunião foi de perseverança na devoção a Nossa Senhora. Aproveitou-se para fazer algumas atualizações de dados.

Guaratingueta - SP-  Par. Na. Sra. Lourdes 9.02.10Em Guaratinguetá, a dupla dos Arautos visitaram os grupos de duas Paróquias: Nossa Senhora de Lourdes e São Francisco de Assis.

No dia 8 de fevereiro, a visita foi na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes (foto ao lado), onde reuniram-se 25 participantes do Apostolado do Oratório para uma reunião sobre a Devoção a Nossa Senhora e a devoção dos Primeiros Sabados do Mês.

Guaratinguetá - SP - 11.02.2009 - Par. S. Francisco de Assis (2)No dia 10 de fevereiro, foi a vez dos coordenadores da Paróquia São Francisco de Assis.

A reunião foi realizada no salão paroquial.

Nesta ocasião, foi projetado o áudio-visual das Atividades do Apostolado do Oratório no ano de 2009.

Todos gostaram muito e ficaram impressionados com o crescimento dos Oratórios em todo o Brasil.

Botucatu - SP - Par. Na. Sra. Aparecida - Jan. 2010Estávamos nos esquecendo da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Botucatu.

No dia 26 de janeiro, a dupla dos Arautos fez uma reunião para 20 pessoas, versando sobre o tema da Devoção Eucarística e a Nossa Senhora.

No final, houveram participantes do Oratório que não perderam a oportunidade para tirar uma fotografia junto à Imagem do Imaculado Coração de Maria.

Areiópolis - SP - fev. 2010 (2)No dia 22 de feveiro, dia em que a Igreja comemora a festa da Cátedra de São Pedro, e dia em que os Arautos comemoram a sua Aprovação Pontifícia, a dupla esteve visitando os Coordenadores da Paróquia Santa Cruz, em Areiópolis.

Ademais de tratar de temas sobre devoção eucarística e Nossa Senhora, como também, responder a várias perguntas, foi projetado para os Coordenadores o áudio-visual das Atividades do Apostolado do Oratório no ano 2009.

Guarantã - SP. 1.03.10 (1)No primeiro dia do mês de março, a Paróquia de Santa Terezinha,  no município de Guarantã, recebeu a visita da dupla dos Arautos do Evangelho.

A reunião foi feita na própria igreja. O tema tratou sobre as dificuldades que enfrentamos em nosso apostolado, e a perseverança que devemos ter no nosso desejo de ajudar aos demais.

Essa visita foi de muito proveito para os Coordenadores mas, sobretudo, para a dupla dos Arautos pois, nesses encontros, tanto os Arautos como os Coordenadores recebem especiais graças de Deus, que nos são alcançadas por meio de Nossa Senhora.

Essas foram apenas algumas visitas que colocamos hoje no Blog do Apostolado do Oratório. Ainda colocaremos outras que a dupla realizou neste período. E para esse ano de 2010, muitos grupos do Oratório estão pedindo a visita dos Arautos do Evangelho; queira Nossa Senhora, seja possível atender a todos.

Coordenadores em Iaras/SP

Recentemente a comunidade dos Oratórios da Paróquia Santa Luzia, em Iaras, Estado de São Paulo, foi visitada pelos Arautos do Evangelho.

A dupla dos Arautos que percorre as várias comunidades do Oratório do Imaculado Coração de Maria, reuniu-se com o Pároco, Frei Antônio Eduardo Damasceno e os fiéis, para contar notícias da expansão do Apostolado do Oratório no Brasil e no mundo, como também, explicar e instaurar na Paróquia, a devoção dos Primeiros Sábados do Mês.

O encontro deu-se no própria igreja de Santa Luzia. O Frei Antônio celebrou a Santa Missa, que contou com a presença dos coordenadores, com seus Oratórios e capinhas laranjas do Apostolado do Oratório.

Na celebração, esteve presente a Imagem Peregrina do Imaculado Coração de Maria. Antes do término da Missa, Fre i Antônio fez a consagração das famílias ao Imaculado Coração de Maria.

Logo após a Missa, foi projetado um áudio-visual sobre as atividades do Apostolado do Oratório no ano de 2009.

Clique nas fotografias abaixo e confira como foi a peregrinação.

DSC05722DSC05726DSC05799DSC05806DSC_5955DSC_5965DSC_5987DSC_5990DSC_6018

Encontro na sede do Apostolado do Oratório

Já faz alguns dias, publicamos no blog as fotografias do retiro para supervisores do Apostolado do Oratório realizado na Vila Dom Bosco, na cidade de Campos do Jordão, em São Paulo.

Recentemente, promovido pelos supervisores do Oratório, vários participantes do retiro que vivem na cidade de São Paulo e regiões vizinhas, reuniram-se para um agradável convívio na sede do Apostolado do Oratório.

Era um grande desejo dos participantes do retiro, encontrarem-se novamente e poder conversar sobre todas as impressões do retiro, e desta maneira, relembrarem juntos os abençoados momentos vividos na Vila Dom Bosco.

MISSA DOMINICAL 099O primeiro encontro foi na Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Seminário dos Arautos do Evangelho, em Caieiras.

24

Na ocasião puderam compartilhar com Monsenhor João Clá Dias, fundador dos Arautos, as bençãos recebidas no retiro, em uma rápida conversa antes da celebração da Missa Dominical. Na ocasião, vendo todo o benefício espiritual que o retiro havia produzido nos supervisores do Oratório, Monsenhor João Clá atendeu bondosamente ao pedido de um dos supervisores, colocando um nome ao grupo de supervisores que participaram do retiro: “Nossa Senhora do Bom Conselho”.

Na semana seguinte, o encontro realizou-se na sede do Apostolado do Oratório.

Inicialmente, o Pe. Julio Ubelhode, EP, um dos três sacerdotes que estiveram atendendo os retirantes na Vila Dom Bosco, celebrou a Santa Missa, relembrando a importância de todo os propósitos que cada um fez no retiro.

42391011

Logo após a Missa, todos foram convidados para um jantar na mesma sede do Apostolado do Oratório, onde foi servido uma saborosa pizza. Ao final, foi projetado um áudio-visual sobre o Retiro em Campos do Jordão.

1516171819202122

Terminado o programa, todos regressaram a suas casas, suas cidades, onde dedicarão parte de seu tempo às atividades do Apostolado do Oratório, dos Arautos do Evangelho.

Ainda neste mês de março, começará um curso de formação em doutrina católica, dada pelos Arautos do Evangelho, aos supervisores do grupo de Nossa Senhora do Bom Conselho, onde eles poderão aprofundar seus conhecimentos para melhor dedicarem-se ao apostolado.

Oratório nos comércios – Entrevista

 

Shiguemassa e Cleusa Iamasaki

Oratórios ComércioO casal Shiguemassa e Cleusa Iamasaki, proprietários da Iamasaki Consultoria de Empresas em Maringá –PR, são os supervisores dos Oratórios da região. Com uma boa dose de criatividade eles lançaram a idéia dos Oratórios no comércio: um verdadeiro sucesso!

Pergunta: Como estão organizados os Oratórios na região de Maringá?

Casal Iamasaki: Aqui em Maringá temos muitos Oratórios e nas cidades da região também. Para vocês terem uma idéia, em Mandaguaçu são 27, em Dr. Camargo 25, em Marumbi 25, em Ivatuba 21 e em Cruzeiro do Sul temos apenas 1 Oratório, mas muitos outros pedidos. Em Maringá a maior novidade são os Oratórios no comércio.

Pergunta: Oratórios no comércio? Como funciona esse sistema?

Casal Iamasaki: São 48 Oratórios que percorrem os estabelecimentos comerciais da cidade. Como o comércio não abre aos sábados, domingos e feriados, tivemos que fazer uma adaptação: são 15 estabelecimentos para cada Oratório. Temos lojas, escritórios de advocacia, consultórios médicos, fábricas… Cada um fica dois dias com o Oratório e é uma dificuldade para passar de um para o outro, pois todos querem ficar mais tempo com Nossa Senhora. Eles dizem que quando Nossa Senhora está na loja as vendas aumentam, então todo mundo quer ficar mais tempo com Ela. Há um Oratório que fica em uma empresa só, porque ela é muito grande, em cada dia ele vai para um setor diferente. Outro Oratório fica no Hospital São Marcos, normalmente na Capela, mas também faz visitas para os doentes nos quartos.

Pergunta: Mas que idéia interessante e inovadora!

Casal Iamasaki: Sabe que foi o próprio Arcebispo D. Anuar Batisti que abençoou os Oratórios do comércio? Em um dia marcado, com antecedência, reunimos todos os grupos e ele deu uma bênção especial para todos os participantes.

Pergunta: E como são os grupos das outras cidades?

Casal Iamasaki: Acontece cada coisa nas cidades da região… Em outra cidade na qual temos muitos grupos é Dr. Camargo onde a coordenadora é a Da. Elvira, a primeira dama da cidade, esposa do prefeito. Lá temos 25 Oratórios que percorrem o comércio, as escolas, o Hospital, os escritórios e até a Prefeitura. Um dia Da. Elvira chegou na Prefeitura depois do horário do expediente e havia 5 funcionários rezando o terço de joelhos diante do Oratório, imagine!

 (Extraído do Boletim-informativo “Maria Rainha dos Corações”, n° 30)

 

Meditação para o Primeiro Sábado

Jesus é condenado à morte

 

Cristo crucificadoEle próprio carregava a sua cruz para fora da cidade, em direção ao lugar chamado Calvário”.

(Jo 19, 17)

 

 

 “Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado”. (Is 53, 4)

  

Introdução

 

Durante esta Quaresma e, de modo especial, nos dias cheios dos imponderáveis sérios e graves da Semana Santa, acheguemo-nos aos pés da Cruz de onde pende o Salvador abandonado por quase todos – sobretudo neste século em que tantos e tantos homens só procuram o prazer e o bem-estar pessoal – e coloquemos nas mãos da Mãe Dolorosa, cuja alma foi transpassada pelo gládio da dor, toda a nossa entrega e disposição de padecer por Cristo e por Sua Igreja.

 

Oração inicial

 

 Ó Virgem Dolorosa, nós sabemos que juntamente com Vosso divino Filho sofrestes as dores da Paixão. Vós sofrestes como Mãe, quase que na própria carne – porque mais dói a dor da alma do que a do próprio corpo. No caminho do Calvário, Vós encontrastes Jesus quando carregava a cruz às costas. Ó Mãe Santíssima nós Vós pedimos graças super abundantes, graças eficazes, graças até místicas para bem realizar esta meditação e que ela de fato possa, de alguma forma, reparar o Vosso Sapiencial e Imaculado Coração por tantos crimes, tantos horrores e pecados que ocasionaram a Paixão de Vosso divino Filho. Hoje, ao considerardes esses crimes, blasfêmias, pecados, que vos recordeis das dores de Jesus e das vossas dores, em união com Ele.

Que essas dores penetrem em nossos corações e que cheios de arrependimento por nossas faltas, cheios de mágoa e ao mesmo tempo cheios de desejo de emenda para este mundo tão pecador. Alcançai-nos nesta meditação, a compreensão do quanto o pecado atrai sobre nós o castigo, e o quanto o pecado sem arrependimento, atrai a cólera de Deus.

Doce Coração de Maria, aceitai esta humilde meditação como emenda para nós e reparação ao Vosso Sapiencial e Imaculado Coração.

 

Assim seja!

1 – Jesus abraça a cruz: o símbolo da vergonha!

 

cruz com os coraçõesEm verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado”. (Is 53, 4)

 

Jamais um romano poderia ser condenado à morte de crucifixão, por ser símbolo máximo de desonra, reservada aos piores criminosos. O sinal da vergonha por excelência foi abraçado por Jesus, “Ele próprio carregava a sua cruz…” (Jo. 19, 17).

Bem se poderia ver naquela cruz a imagem de nossos pecados. “Quem pode, entretanto, ver as próprias faltas?” (Sl 18, 13). Quem entenderá o pecado ? Este é o pior de todos os males, o ato de maior oposição a Deus. Naquela cruz estavam todos os meus pecados …

Neste passo da Paixão, Jesus toma sobre Seus adoráveis ombros meus pecados Entretanto, o Divino Redentor é Rei tão grandioso que transformará a cruz em objeto de elevada nobreza e distinção. Ela será colocada no alto das torres das igrejas, nas coroas dos reis e será objeto do amor apaixonado dos santos.

Como Jesus recebeu a cruz?

A cruz está diante de Nosso Senhor que contempla aquele instrumento de dor; como Ele a acolheu ? Aceitou, já que não havia remédio; apenas aprovando o sofrimento?

Não. No caminho da Paixão, Jesus nos deu um luminoso e admirável exemplo.

Conta uma piedosa revelação que, quando recebeu das mãos dos carrascos a Cruz, Nosso Senhor se ajoelha sem auxílio de ninguém, com as forças quase desaparecidas, contudo, Ele está ali com disposição, com ardor, abraça a cruz e a beija amorosamente; e, tomando-a sobre os ombros, leva-a até o alto do Calvário.

Ora,’a teologia nos ensina que, para resgatar o gênero humano, teria bastado Nosso Senhor Jesus Cristo oferecer a Deus Pai um simples gesto, ou até mesmo um piscar de olhos, por serem de valor infinito todos os Seus atos. Portanto, uma única gota de sangue derramado durante a Circuncisão seria suficiente para realizar a obra da Redenção.

Entretanto, decretou o Padre Eterno que Ele deveria sofrer a Paixão e Morte de Cruz. O Filho, que por Sua natureza divina não era capaz de sofrer, quis assumir nossa carne em estado padecente, e não em corpo glorioso, como correspondia à Sua alma, que se encontrava na visão beatífica desde toda eternidade’. (Rev.Arautos do Evangelho nº 87, Ir. Clara Isabel Morazzani Arráiz, EP; mar.2009, p. 22)

 

Ponto de reflexão

 

Que devo eu oferecer a Jesus neste momento em que O vejo beijar a cruz ?

Ó Jesus meu! Ao ver-Vos ajoelhado para abraçar a cruz, lanço-me a Vossos pés contrito e humilhado. Quantas e inúmeras vezes Vos ofendi?

Eu me transformei no horror do universo inteiro, em todas as ocasiões que pequei contra Vós.

Perdão, Senhor, perdão! Consumi todas as minhas culpas na Vossa infinita misericórdia e transformai-as em mais uma coroa de Vossa glória.

 

 

2 – Jesus cai debaixo da cruz.

 

Cristo carregando a cruzMas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniquidades.

O castigo que nos salva pesou sobre ele, e fomos curados graças às suas chagas”

(Is 53, 5).

Meditação  

 

Terríveis são os nossos crimes, eles fazem cair ao solo um Deus feito homem.

Não era longo o caminho até o Calvário, mas Jesus ainda cairá mais duas vezes mais. O esgotamento produzido pela flagelação, sucedida da coroação de espinhos, a noite sem dormir… O peso de nossas ofensas O faz perder as forças.

Bem poderia negar-Se a continuar Sua Via Sacra. Bastaria todo o ocorrido até aqui para justificar a incapacidade de prosseguir. Mas, Ele deseja ensinar-nos a nunca desanimar.

Nesse passo, Ele demonstra estar disposto a nos reeguer de nossas quedas, por piores que sejam.

 

Oração

 

 Ó Jesus, castigado por meus crimes e esmagado por minhas infidelidades, quanto Vos adoro e Vos agradeço por quererdes reerguer-me de minhas quedas. Elevai-me desta situação em que me encontro, produzi em mim uma verdadeira conversão, para que eu retorne ao caminho da salvação e nunca desanime. Que eu deteste tudo aquilo que me separa de Vós, morra para o pecado e jamais desonfie do Vosso socorro.

 

 

3- Jesus cai pela segunda vez!

 

…o Senhor fazia recair sobre ele o castigo das faltas de todos nós. Foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador”. (Is 53, 6-7)

Meditação

 

 Nada acontece a Jesus sem um profundo significado. Tudo n’Ele é simbólico e tem sua razão de ser. Essa segunda queda acentua ainda mais a noção de quanto pesam, sobre seus sagrados ombros, os nossos pecados.

Suas forças vão enfraquecendo a cada passo e, apesar do auxílio do Cireneu, a cruz vai se tornando esmagador. Quem, ao cair pela segunda vez naquelas circunstâncias, não se deixararia permanecer no solo?

Teria chegado a oportunidade para desistir. Porém, como eram suaves aquelas quedas no caminho em comparação com os sofrimentos que ainda viriam.

Ademais, quis Jesus mostrar-nos qual deve ser a extensão de nossa confiança, mesmo quando recaímos em nossas faltas. O Salvador está sempre disposto a nos perdoar e para isto é fundamental nunca desanimar. Tendo Ele assumido nossas culpas, jamais deixará de nos reerguer. Duvidar da misericórdia infinita de Deus, tão desejoso de nos perdoar e salvar, é uma ofensa ainda pior do que o próprio pecado, segundo ensina Santo Agostinho.

 

Oração

 

 Uma segunda queda, ó Jesus! Vejo bem o quanto Vos pesam os meus crimes. As pedras do caminho são menos duras que meu coração. Se elas fossem dotadas de inteligência e vontade, começariam a soluçar de compaixão!  

 

 

4- Jesus cai pela terceira vez!

 

Também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo para que sigais os Seus passos.

Carregou os nossos pecados em Seu corpo para que, mortos os nossos pecados, vivamos para a justiça” (I Pe 2, 21, 24).

 

Meditação

 

Aí está, diante de nossos olhos e sob o peso da cruz, banhada já pelo preciosíssimo e adorável Sangue do Redentor, caído ao chão pela terceira vez.

Uma vez mais a imagem de nossa miséria. Assim somos nós. Os nossos melhores atos de virtude vêm sempre embebidos das faltas que tanto atormentam a delicada e sensível consciência dos santos. “Afinal, não pecarei mais”, foi o último gemido lançado por São Luís Grignion de Montfort, antes de expirar.

 

Reflexão

 

Quantas e quantas vezes não fomos relaxados no cumprimento de nossos deveres, na prática da virtude, no evitar as ocasiões que nos levam ao pecado… Como estamos longe da perfeição, deixando Jesus ser quase esmagado sob o peso da Cruz, sem me preocupar em ajudá-Lo!

Por outro lado, Jesus nos repete: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida!” (Jo 14, 6). Ele nos dá o divino exemplo: não devemos nos apoiar nas inconsistentes promessas humanas; só no sobrenatural está nosso amparo e proteção. Nem o ressentimento pode ser a nossa lei. Se nos abandonam ou nos perseguem, e caimos sob o madeiro das decepções, jamais o desânimo nos abaterá, desde que nós sigamos o exemplo do nosso Divino Mestre: retomar a cruz e chegar ao fim.

Sempre há mais para dar, mesmo quando o fôlego parece já não existir. Essa é também uma das lições contidas nesta Estação.

 

 

5 – Jesus é pregado na cruz

 

instrumentos da paixão “Chegados que foram ao lugar chamado Calvário, ali O crucificaram, como também os ladrões, um à direita e outro à esquerda. Pilatos redigiu uma inscrição e a fixou por cima da cruz. Nela estava escrito: “Jesus de Nazaré, rei dos judeus” (Lc 23, 33; Jo 19, 19).

 

Meditação

 

Por fim chega Jesus ao Calvário, lugar onde segundo uma piedosa e antiga tradição, Adão havia sido sepultado. Ali abundara o pecado, ali transbordaria a graça.

Crucificado! Aquela mesma cruz que tanto Lhe pesara sobre os ombros seria Seu instrumento de morte.

Os braços abertos para atrair a Si a humanidade inteira, sem distinção de pessoas de qualquer espécie, conforme afirma São João Crisóstomo. Já em estado pré-agônico, enormes cravos perfuram Suas sagradas mãos e divinos pés, levando-O a contorcer-Se sob a ação da dor.

Ao pé da cruz, enquanto os soldados repartiam entre si do Divino Crucificado, Ele entregava mais Sua preciosa herança – Maria Santíssima – ao discípulo amado, num último e supremo gesto de amor filial. Também ali estavam as Santas Mulheres, dignas de admiração por sua corajosa determinação de permanecer junto à cruz, os olhos postos no Salvador, impávidas diante do ódio dos fariseus que pusera em fuga os Apóstolos.

Nossa Senhora das Dores. – Mas, exemplo sem igual nos dá a Mãe de Deus, como lembra Teófilo: “Imitai, ó mães piedosas, esta que tão heróico exemplo deu de amor maternal a seu amantíssimo Filho único; porque nem vós tereis mais carinhosos filhos, nem esperava a Virgem o consolo de poder ter outro”.

 

Oração Final

 

 Eu vos dou graças, Ó Jesus meu! Reconstituo, nesta meditação reparadora, o drama da loucura de amor de um Deus por suas criaturas. Se fosse eu o único a haver pecado, Vosso procedimento não teria sido outro. Por isso, afirmo com toda certeza: Vós fostes crucificado por mim. Nada faltou para Vos fazer sofrer até o extremo da dor.

Que Vossa crucifixão arranque de minha alma os caprichos e os vícios que me desviam de Vós. Quantos apegos, quantas paixões, quantos delírios… Concedei-me as mesmas graças derramadas sobre o bom ladrão e possa eu, assim, um dia estar convosco no Paraíso.

 

Ave Maria, Rainha dos Mártires, cuja alma foi transpassada pelo gládio da dor.

 

 

Referência: Via Sacra, Mons. João S.Clá Dias, Takano Editora Gráfica Ltda., 1ª edição, março de 2001.