Nosso maior tesouro

Nosso Deus, coroado de espinhos, não indica que a realeza de Deus é a realeza da dor?

Plinio Correa de Olivieira

Aceitemos o sofrimento; o sofrimento por toda a sorte de humilhações; o sofrimento por toda a sorte de vantagens de que desistimos; o sofrimento pelo esforço infatigável pelo bem; o sofrimento pela abnegação que não conhece limites.


Privar o Cristianismo do sofrimento é injuriar a Cristo, que quis que fosse de espinhos sua coroa; ser católico e ter medo de sofrer por Deus é fazer deste um mero banqueiro, que nos fornece prazer ao sabor de nossos caprichos, ou lacaio a quem se encomenda felicidade, como se lhe pede um copo de água. É amizade o ter medo de sofrer por um amigo? Não.

Logo, não é Cristianismo o ter medo de nos sacrificarmos por Jesus, nosso maior Amigo. Não cometamos a atrocidade de abandonar Jesus no Calvário. Não demos a bofetada de um pecado no rosto que Ele nos apresenta chagado por amor de nós. Não sejamos atrozes, não sejamos hienas, sejamos “mites et humiles corde – mansos e humildes de coração” (cfr. Mt. 11, 29) como Ele.


Tudo isso evidencia a necessidade do apostolado. Se amamos a Deus sobre todas as coisas, imolemo-nos por Ele. Se amamos ao próximo como a nós mesmos, demos-lhe a Fé, nosso maior tesouro.

_______________

O Legionário, 11/10/1931

Sobre Apostolado do Oratório

Blog oficial do Apostolado do Oratório dos Arautos do Evangelho, Associação Internacional de Direito Pontifício.
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade, , Nosso Senhor Jesus Cristo, Plinio Correa de Oliveira, Verdades eternas e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Nosso maior tesouro

  1. Maria da Glória Oliveira disse:

    Maria Imaculada Concebida sem pecado,rogai por nós, q recorremos à Vós! 🙏

  2. Maria Aurea Araujo C SoareSo disse:

    Salve Maria nossa mãe amada que nos ampara e nos proteje sempre!

Deixe uma resposta