A coroação de Nossa Senhora no Céu

Nossa Senhora sabia o dia da sua Assunção e que, imediatamente após sua ressurreição, seria elevada pelos Anjos ao Céu. Ela estava na plenitude de sua santidade, sua alma santíssima, que durante toda sua existência terrena não deixou um instante de progredir de um modo perfeitíssimo em matéria de vida espiritual, tinha chegado àquele clímax em que Maria possuía a perfeição perfeita, a beleza belíssima, a virtude virtuosíssima, portanto ao apogeu dos apogeus, e o seu amor de Deus nunca fora maior do que naquele momento.

Continue lendo “A coroação de Nossa Senhora no Céu”

Onde e quando Nossa Senhora morreu?

🌷Onde e quando Nossa Senhora morreu?🌷

Esse foi o tema da  live do Padre Alex de ontem e, graças a Nossa Senhora, foi um grande sucesso, suscitando perguntas, interações e esclarecendo muitas dúvidas.

Se você quiser conhecer mais sobre o tema, bem como ser íntimo de Nossa Senhora, conhecê-la e amá-la mais, acesse nossa Plataforma Reconquista e se inscreva no curso. Você tem muito a ganhar.

Acesse e faça a sua inscrição: Seja íntimo de Nossa Senhora.

Meditação do Primeiro Sábado agosto 2020


Assunção de Nossa Senhora. A plenitude de nossa Mãe, Rainha e Advogada. No cumprimento de nossa Comunhão Reparadora do Primeiro Sábado, pedida por Nossa Senhora em Fátima, meditaremos em agosto o 4º Mistério Glorioso: A Assunção de Nossa Senhora. No dia 15 de agosto a Igreja celebra a Assunção de Nossa Senhora em corpo e alma ao Céu. Esta é a festa da plenitude de Nossa Senhora, da sua chegada à Glória eterna, com todo o esplendor que Lhe é devido.

Continue lendo “Meditação do Primeiro Sábado agosto 2020”

O penhor marial de nossa ressurreição

Solenidade da Assunção de Nossa Senhora

Na Assunção da Virgem Maria aos Céus, Deus antecipa seu desígnio em relação à humanidade: a ressurreição e triunfo dos justos no dia do Juízo Final

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP, fundador dos Arautos do Evangelho e do Apostolado do Oratório

Glorioso cume de santidade

A exemplo de Maria

A Santa Igreja Católica, ao comemorar a Solenidade da Assunção de Maria Santíssima, compõe a Liturgia com um objetivo definido, sintetizado na Oração do Dia: “Deus eterno e todo-poderoso, que elevastes à glória do Céu em corpo e alma a Imaculada Virgem Maria, Mãe do vosso Filho, dai-nos viver atentos às coisas do alto, a fim de participarmos da sua glória”.1 Nossa condição humana, tão cheia de lutas e de dramas, e ao mesmo tempo de graças, tende a voltar-se para as realidades concretas que nos cercam ― saúde, dinheiro, relações, etc. ―, esquecendo-se das maravilhas sobrenaturais, quando na verdade sua contemplação é essencial para nos tornarmos partícipes da glória de Nossa Senhora.

Sinal da importância de nos atermos em primeiro lugar aos bens do alto é que eles nos serão concedidos por todo o sempre, se nos salvarmos. O estado de prova no qual nos encontramos é efêmero e, ao se concluírem os breves dias de nossa existência, entraremos na eternidade, onde viveremos em permanente convívio com Deus, os Anjos e os Santos, no Céu, ou com os demônios e os condenados, no inferno. (…)

Continue lendo “O penhor marial de nossa ressurreição”