Encontro Nacional do Apostolado do Oratório no Paraguai

No domingo 28 de outubro foi realizado o Encontro Nacional do Apostolado do Oratório no Paraguai. Participaram cerca de 2.500 pessoas de oito dioceses do país

Pe. Rafael Ramón Ibarguren Schindler, EP, Superior dos Arautos do Evangelho do Paraguai

O programa começou com uma Missa às 11h00 no Santuário Nacional de Nossa Senhora de Caacupé, celebrada pelo revmo. Padre Felipe Garcia, EP e contou com a participação do Coro e Orquestra dos Arautos do Evangelho.

Continue lendo “Encontro Nacional do Apostolado do Oratório no Paraguai”

Oratório gigante no Paraguai

“Ninguém acende uma vela e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa” (Mateus 5:15)

Pe. Jorge Gustavo Antonini, EP


Vila do Rosário foi fundada em 1787 e fica a 225 km de distância da capital Assunção

Em Vila do Rosário de Kuarepotí um Oratório iluminado, de 2 metros de altura, dá as boas vindas a quem chega nessa simpática cidade do Paraguai.

A bênção de inauguração do oratório gigante foi feita em conjunto pelo vigário paroquial, Pe. Arnaldo Loureiro Chinacuete e pelo Superior local dos Arautos do Evangelho, Pe. Rafael Ibarguren.

A obra é uma iniciativa da Pastoral do Oratório, que conta com 10 grupos que recebem a imagem de Maria em suas casas.

Assim, a pequena cidade de 12.000 habitantes está abençoada e protegida pela figura maternal de Nossa Senhora.


Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja também:

Apostolado do Oratório na Polônia
Notícias do Apostolado do Oratório de Ruanda

“Tudo lhe ofereço Senhor”. Foi este o lema de sua vida

A exemplo do Sol da sua vida, que foi a Eucaristia, ela foi uma vítima imolada por Ele, como uma leiga comprometida com a Igreja, primeiro, e como uma religiosa de clausura depois. “Eu me ofereci como uma pequena vítima pelos sacerdotes “, disse ela uma vez

Pe. Rafael Ramón Ibarguren Schindler*, EP

Maria Felicia de Jesus Sacramentado: assim se chamava seu nome de religião da jovem Carmelita Descalça beatificada em Assunção, Paraguai, em 23 de junho, cujo encontro final com o Senhor se deu nos seus jovens 34 anos de idade, em 28 de abril de 1959. Em seu país natal, todos a chamam “Chiquitunga”; como ela foi apelidada por sua família e em seus círculos sociais.

Sua espiritualidade, simples e penetrante, vai direto ao essencial sem grandes desvios, e está de consonância com os voos místicos das três grandes Teresas: a Santa Madre Teresa de Jesus, Santa Teresa do Menino Jesus e Santa Teresa dos Andes. Maria Felicia de Jesus Sacramentado, continua o caminho aberto por elas, especialmente pela de Ávila, a grande reformadora do Carmelo.

Santa Teresa de Ávila na gloria. (Novelli)

Como as três, a nova Beata também deixou escritos de profundo sentimento cristão e Carmelita. “Tenho sede de uma entrega total”, escreveu ela. Quanta coisa está dita nesta frase tão curta! Este é um ideal de vida, o mais sublime que possa imaginar.

No blog “Amigos de Carmelo Teresiano” se colhe uma declaração muito bonita sobre ela: “sua vida foi uma missa, na escuta da Palavra, no ofertório, como consagração e como comunhão “. Sobre sua a morte, escreveram: “Se não fosse por este Pão, este Pão da Vida, Eu não sei o que eu teria sido “. Jesus Sacramentado, de quem ela tomou o nome, foi sua força, junto com Maria, a quem foi consagrada como escrava de amor.

Chiquitunga escreveu uma curta história de vida que foi publicada pelas Carmelitas Descalças do Paraguai sob o título “Diário Intimo”. Também conhecemos alguns poemas de simplicidade encantadora e densidade teológica, bem como 61 cartas escritas de sua própria mão.

Em seus escritos, palpita um amor apaixonado de uma combatente. Ela não concebeu o existência vivida na mediocridade. Na verdade, para qualquer batizado se pede integridade e não meias medidas; mas ela foi uma das poucas a alcançar essa coerência consumada, renunciando ao amor humano e promessas de bem-estar pessoal e prestígio social, que tantas vezes o mundo nos apresenta, enganosamente, como uma alternativa.

Fotos: www.irmascarmelitas.com.br

 Não é o caso de retratar nessas linhas uma vida inteira que, embora curta, era fecunda. Apenas deixo transcrito aqui alguns versos que mostram seu perfil eucarístico. São sem rimas e sem pretensão, mas muito profundos. Não são para nenhuma erudição acadêmica ou literária; são versos de uma criança ou um menina … daqueles que entram – e só eles – no Reino dos Céus.

“ A hostia elevada, com uma transparência limpa, com um brilho divino irradia no altar; Eu quero que minha vida, trocada as substâncias, qual hostia consagrada, deixe atrás de si um caminho de intensa claridade. “

“ Eu quero que em sacrifício, como uma vítima imolada, minha vida se consuma em santa claridade! Senhor, pela hóstia pura, o Pão da Vida Eterna e o Cálice do Sangue da nossa Redenção, conceda àqueles unidos assim nós vos imploramos. Perdão dos nossos pecados e salvação eterna. Meu senhor e Deus meu! “ 

Se pode dizer algo mais transcendente com tanta precisão e ingenuidade? Estamos diante de um modesto, porém verdadeiro tratado sobre teologia eucaristia, acessível a todos, de quem está recebendo a catequese para Primeira Comunhão ou do teólogo familiarizado com a ciência divina.  “Tudo lhe ofereço Senhor”, foi o lema que ela imprimiu em seus escritos como uma fórmula química “T2OS” (T ao quadrado OS). Neste sinal se resumiu a radicalidade de seu ideal.

A palavra “Tudo” não admite relativizações; Tudo é tudo e ponto final! Entretanto, o “Tudo ao quadrado” é uma excelência que pode significar por si, a totalidade. É como dizer: absolutamente tudo, de agora em diante, sem apelo e para sempre.

Então segue a noção de “oferta”, uma palavra que significa sacrifício, holocausto, imolação, destruição… Eucaristia. Como o incenso que se queima ao ser derramado em brasas, ou como a cera que se derrete ao calor do fogo; é assim que ela queria ser e assim ela foi.

E, finalmente, a razão de ser de uma oferta tão generosa: “O Senhor”.

Que a ardente beata interceda pela comunidade carmelita de Assunção com quem ela compartilhou os últimos anos de sua vida e por todas as carmelitas descalças do mundo, suas irmãs de hábito; para a Igreja do Paraguai e por seu país natal que ela tanto amava. Finalmente, por todos os cristãos do orbe, que se esforçam para cumprir os propósitos batismais entre os quais, este, tão primordial: adorar a Jesus no Santíssimo Sacramento do altar.

Assunção, julho de 2018

_________________

*Conselheiro de Honra da Federação Mundial das Obras Eucarísticas e da Igreja.

Lágrimas, milagroso aviso

O misterioso pranto nos mostra a Virgem de Fátima a chorar sobre o mundo contemporâneo, como outrora Nosso Senhor Jesus Cristo chorou sobre Jerusalém. Lágrimas de afeto terníssimo, lágrimas de dor profunda, na previsão do castigo que virá

Lacrimação de 1972 em Nova Orleans

No já longínquo ano de 1972, nos Estados Unidos, na cidade de Nova Orleans, uma Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima chorou, derramando abundantes lágrimas de Mãe.

Na ocasião, mais precisamente no dia 06 de Agosto de 1972, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, Mestre do Fundador dos Arautos do Evangelho, publicou um artigo na Folha de São Paulo, sob o mesmo título que inserimos acima, comentando o ocorrido e, estabelecendo uma magnífica correlação entre as lágrimas de Nossa Senhora e o cumprimento das Profecias de Fátima.

Assim se expressou Dr. Plinio:

“Os antecedentes do fato são conhecidos. No ano de 1917, Lúcia, Jacinta e Francisco tiveram várias visões de Nossa Senhora em Fátima. A autenticidade dessas visões foi confirmada por vários prodígios no sol, atestados por toda uma multidão reunida enquanto a Virgem se manifestava às três crianças

Em termos genéricos, Nossa Senhora incumbiu os pequenos pastores de comunicar ao mundo que estava profundamente desgostosa com a impiedade e a corrupção dos homens. Se estes não se emendassem, viria um terrível castigo, que faria desaparecer várias nações. A Rússia difundiria seus erros por toda a parte. O Santo Padre teria muito que sofrer.

O castigo só seria obviado se os homens se convertessem, se fosse consagrada a Rússia e o Mundo ao Imaculado Coração de Maria e se se fizesse a Comunhão reparadora dos primeiros sábados de cada mês (…)

O misterioso pranto nos mostra a Virgem de Fátima a chorar sobre o mundo contemporâneo, como outrora Nosso Senhor chorou sobre Jerusalém. Lágrimas de afeto terníssimo, lágrimas de dor profunda, na previsão do castigo que virá.

Virá para os homens do século XX, se não renunciarem à impiedade e à corrupção. Se não lutarem especialmente contra a autodemolição da Igreja, a maldita fumaça de Satanás, que no dizer do próprio Paulo VI, penetrou no recinto sagrado. (…)

Mas, dirá alguém, esta não é uma meditação própria para um domingo. – Não é preferível  – pergunto – ler hoje este artigo sobre a suave manifestação da profética melancolia de nossa Mãe, a suportar os dias de amargura trágica que, a não nos emendarmos, terão que vir?

Se vierem, tenho por lógico que haverá neles, pelo menos, uma misericórdia especial para os que, em sua vida pessoal, tenham tomado a sério o milagroso aviso de Maria

É para que minhas leitoras, meus leitores, se beneficiem dessa misericórdia, que lhes ofereço o presente artigo…”(1)

Passados quase 50 anos daquela extraordinária lacrimação de Nossa Senhora, sem que a humanidade tivesse se esforçado para buscar a conversão, ao contrário, tendo se afundado ainda mais num mar de pecados, eis que a Mãe de Deus se manifesta, novamente, a seus filhos.

Com efeito, a Agência de Notícias Gaudium Press informa que, “recentemente, no dia 25 de abril p.p, na Casa de Formação dos Arautos do Evangelho, em S. José Pinula, nas proximidades da cidade da Guatemala, dos olhos virginais de uma Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima correram abundantes lágrimas.

Lacrimação de agora, 2018

De si, o fato já é completamente extraordinário.

E se tivesse ficado por aqui, já seria suficiente para comover o coração de qualquer fiel. Mas os sinais do Céu não pararam. Também em San José, da Costa Rica, na Casa dos Arautos do Evangelho, se repetia idêntico fenômeno.

Uma imagem peregrina começara a verter abundantes lágrimas.

Uma extraordinária lacrimação ocorreu também num quadro da Mãe do Bom Conselho no dia 26 de abril, celebração da sua festa litúrgica, também na Costa Rica, na casa dos Arautos do Evangelho, e na Guatemala uma imagem de São José verteu copiosas lágrimas.

Na Espanha, foi uma pequenina imagem de Nossa Senhora de Fátima, adquirida no Santuário de Fátima, em Portugal, por uma menina que frequentava os programas de formação do ramo feminino dos Arautos de Evangelho, que durante a viagem de regresso verteu lágrimas de sangue.

Lacrimação de 2018

No total, são já 11 imagens que derramaram lágrimas em abundância”.

Estes fatos extraordinários são a prova irrefutável do Amor e da Misericórdia  de Maria Santíssima para com seus filhos!

E nós? Ficaremos indiferentes? Não nos esforçaremos para desagravar o Imaculado Coração de Maria por tantos pecados cometidos?

Veja também: A humanidade ouviu os apelos de Fátima?

_____________________

(1) Plinio Corrêa de Oliveira. Lágrimas, milagroso aviso. In Folha de São Paulo, 06/08/1972.

Celebrações do 13 de Maio 2018 pelo mundo

Em vários países multidões acorreram a louvar a Mãe de Deus no dia sua festa. Os Arautos do Evangelho e membros do Apostolado do Oratório também participaram e manifestaram seu afeto e seu fervor. A seguir alguns registros desses momentos

Acima, vídeo do XV Encontro do Apostolado do Oratório em Fátima, Portugal

Canadá, Catedral de Montreal

Em Montreal, no Canadá, a celebração aconteceu na Catedral da cidade. Dom Alain Faubert, Bispo Auxiliar, presidiu uma Missa em dois idiomas: inglês e francês.

Moçambique, Peregrinação ao Santuário de Naamacha

Ali também foram recebidos novos terciários dos Arautos do Evangelho.

Em Moçambique, na noite anterior ao domingo, 13, realizou-se uma numerosa peregrinação ao Santuário de Naamacha, encabeçada por uma imagem do santuário, procissão na qual colaboraram decisivamente os Arautos do Evangelho.

Esse é o primeiro santuário dedicado a Nossa Senhora em toda África, e foi construído pelos portugueses para comemorar os 25 anos das aparições de Fátima, invocação a qual está dedicado.

Tanto no dia 13 de maio quanto no dia 13 de outubro, cada ano, dezenas de milhares de pessoas acodem ao Santuário para render culto de hiperdulia a Nossa Senhora.

Cidade do México, Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe

Na Cidade do México, a Antiga Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe foi o sacral marco que acolheu no último domingo a celebração do dia da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima há 101 anos, presidida por Dom Pedro Agustín Rivera, Cônego da Basílica. Nestas cerimônias numerosas pessoas também se consagraram à Virgem de acordo com o método de São Luís Maria de Montfort, e 11 novos terciários dos Arautos do Evangelho receberam sua capa distintiva. Participaram por volta de três mil pessoas.

Colômbia, Igreja de Nossa Senhora de Fátima dos Arautos do Evangelho

Em Colômbia, a igreja de Nossa Senhora de Fátima dos Arautos do Evangelho nas proximidades da capital do país, teve que programar duas missas a mais das estipuladas para atender a multidão de fiéis que queriam reverenciar a sua padroeira.

Calcula-se que mais de 15 mil pessoas acudiram a este templo para render tributo à Mãe de Deus.

San Salvador, Igreja do Coração de Maria

Em San Salvador, a cerimônia em honra de Nossa Senhora de Fátima foi realizada na paróquia do Coração de Maria, dos Padres Claretianos.

A partir das três da tarde, três horas se passaram em uma atmosfera de paz e bênção. Cerca de 1.300 pessoas compareceram.

 

Guatemala, Academia de formação dos Arautos do Evangelho

Na Guatemala a Academia de formação dos Arautos do Evangelho viu abarrotadas suas instalações para a cerimônia eucarística que comemorava Nossa Senhora de Fátima.

Espanha, Madri, Catedral de Almudena

O 13 de maio em Madri, Espanha, foi celebrado com uma Missa organizada pelos Arautos do Evangelho na legendária Catedral da Almudena, e presidida pelo Vigário Geral da Diocese, Dom Avelino Revilla.

Assistiram -além de altas personalidades eclesiásticas-, María Begoña Larraínzar Zaballa, conselheira da cidade de Madri, o Delegado Episcopal de Apostolado Secular da Arquidiocese de Madri, Rafael Serrano Castro, a Presidente e o Vice-Presidente do Foro de Leigos da Espanha, Loli García Pi e Guillermo Aparicio, o Irmão Maior da Irmandade do Grande Poder e da Esperança Macarena de Madri e o presidente de SOS Família, entre outros.

Paraguai, Assunção, Catedral Castrense

Em Paraguai o Treze de Maio foi celebrado os 101 anos das aparições da Virgem em Fátima. Para esta importante ocasião houve uma procissão luminosa com a recitação do Santo Rosário. A Santa Missa foi presidida pelo Pe. Rafael Ibarguren, EP, com a participação do Coro e Orquestra dos Arautos.

Veja ainda mais algumas fotos:

 Veja também: Cerimônias do 13 de Maio pelo Brasil

_____________________

Conteúdo: http://www.gaudiumpress.org/

Posturas e atitudes na igreja e nas missas

Na liturgia da Missa, a Igreja ordena que certos gestos e posições sejam adotados porque são apropriados para reconhecer o mistério que se celebra

Pe. Rafael Ramón Ibarguren Schindler*, EP

Membros do Oratório em Missa na Basílica dos Arautos em Caieiras/SP

É evidente que diante do Santíssimo Sacramento, uma posição reverente deve ser tomada, e ao dizer isso, diz-se pouco, pois se está diante do próprio Deus! A dignidade no vestir, a sobriedade nos movimentos, a circunspecção no discurso, mesmo o cuidado de silenciar o celular, em suma, tudo isso, são atenções e atitudes que se impõe.

Na liturgia da Missa, a Igreja ordena que certos gestos e posições sejam adotados porque são apropriados para reconhecer o mistério que se celebra. Não é um show, nem um hobby, nem muito menos uma diversão. Tanto quanto a companhia do Senhor nos enche de alegria, a dimensão do mistério que se celebra não pode deixar de ser considerada uma prioridade.

Desta forma, com a postura corporal e o decoro, estaremos fazendo a participação inteligente e frutífera que a celebração do mistério cristão exige. Esse cuidado a Igreja quer não apenas nas celebrações em comunidade; Também é válido para adoração pessoal silenciosa ou em pequenos grupos.

A Instrução Geral do Missal Romano (que contém as normas para a celebração da Missa) nos diz algo muito importante: “A postura uniforme, seguida por todos os que fazem parte da celebração, é um sinal de comunidade e unidade da assembleia , uma vez que expressa e promove a unidade de todos os participantes”.

Nada mais grotesco e até chocante que, no meio da Missa ou adoração eucarística, uma pessoa se destaque por suas atitudes originais e chamativas, como se prostrar no chão ostensivamente, falar alto ou coisas assim. E infelizmente existem! Na adoração de Deus, deve-se considerar Sua Divina Majestade e não os sentimentos do fiel. É claro que haverá particularidades próprios para regiões com diferentes tradições; Como, por exemplo, em certas regiões do Oriente onde se retira os sapatos e se cobre a cabeça …

Em qualquer caso, as posturas corporais diante da Eucaristia são basicamente três: estar de joelhos, ficar de pé e sentado. Essas modalidades não são exclusivas, haverá outras; mas estas são as mais apropriadas.

Parece uma banalidade dizer algo tão óbvio. Ou uma mediocridade chegar a este ponto, uma vez que o principal não é o que é exibido, mas o que se leva interiormente. Por exemplo, é mais importante do que sentar ou estar de joelhos, é ter feito uma boa confissão para que se possa aproximar do Senhor com uma consciência limpa. Claro, isso vale mais do que a qualidade do vestido ou a posição do corpo.

Mas hoje nota-se que a compostura não é das melhores nos dias que correm e a educação está em queda livre. Não é incomum ver em momentos importantes e solenes de adoração, homens com as mãos nos bolsos ou as pessoas que falam em telefones ditos “inteligentes”…

Estando de joelhos, ficar de pé ou sentado são posições apropriadas que correspondem a razões de fé, história e estética. A postura ajoelhada é penitencial, de arrependimento e humildade. São Basílio diz que é assim que se mostra que o pecado nos levou à terra. Mas não é apenas penitencial, é oração e súplica. No Novo Testamento existem várias referências sobre o quanto os primeiros cristãos, especialmente São Paulo, ficavam de joelhos. O apóstolo chega a dizer: “é por isso que eu inclino meus joelhos diante do Pai” (Ef 3, 14).

Celebração Eucarística na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima dos Arautos em Cotia/SP

Estar de pé é a postura do sacerdote, mas também dos fiéis nas celebrações litúrgicas, especialmente na espiritualidade do Oriente, de onde veio o cristianismo. Levantar-se e ficar de pé diante de uma pessoa que se quer honrar é a atitude certa. Em pé, enquanto colocamos nosso corpo na direção do céu, enfatizamos para louvar o Senhor. É uma atitude de escuta. Hoje em dia, o normal é ouvir uma exposição sentado enquanto o falante está em pé. Mas antes não era assim: o professor ou o conferencista sentavam-se e as pessoas o ouviam, perto ou distantes, mas de pé.

Sentado ajuda a relaxar e facilitar a meditação. As leituras na missa (exceto o Evangelho) são ouvidas enquanto estão sentadas. Foi assim que Maria Madalena estava aos pés do Senhor, bem como, o próprio Menino Jesus no meio dos doutores da lei.

Missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Águas da Prata/SP

Agora, acontece que nosso corpo geralmente sofre desconforto, especialmente quando se está em idade avançada. É importante que o corpo não seja um obstáculo para a oração, ao contrário, deve ser um “aliado”. Dependendo das circunstâncias, às vezes temos que saber como domesticá-lo e outras vezes temos que entrar em um acordo diplomático … Queremos estar de joelhos, mas o incômodo é grande? Então nos sentamos. Estamos sentados e o sono nos tenta? Nos levantamos.

Ama Deum et fac quod vis, “ame a Deus e faça o que quiser”, afirmou Santo Agostinho. Esta é uma regra de ouro. Se amamos a Deus ou, pelo menos, se quisermos amá-lo seriamente, necessariamente agiremos bem, mesmo nos pequenos gestos.

Por sua parte, o autor dessas linhas pode testemunhar que foi isso que ele aprendeu e se esforça para viver na comunidade dos Arautos do Evangelho da qual faz parte. O carisma dos Arautos é muito bem expresso no sublime mandamento: “Sede, portanto, perfeitos, assim como o vosso Pai Celestial é perfeito” (Mt 5, 48). Portanto, fiquemos “perfeitamente” diante do Senhor!

Assunção, Paraguai, novembro de 2017.

________________

* Conselheiro de Honra da Federação Mundial das Obras Eucarísticas e da Igreja.

Veja também: Por que na Missa não se diz “amém” no final do Pai-Nosso?