Uma devoção de luta


Dado que estamos próximos da celebração do Primeiro Sábado e no mês do Rosário, transcrevemos um pensamento de Dr. Plínio sobre esta devoção que consiste na meditação da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo

 

O Rosário confere à meditação da vida de Nosso Senhor a nota marial por excelência, tendo por detrás a grande verdade de Fé a qual devemos anelar, do fundo de nossa alma, que se torne um dogma: a Mediação Universal de Maria.

A pessoa verdadeiramente piedosa reza pelo menos um terço por dia

Sem dúvida, é magnífico meditar a respeito dos mistérios da vida de Nosso Senhor. Ademais, os mistérios ali apontados, naquela enumeração, embora não sejam os únicos, estão muito bem concatenados e expostos, e podemos facilmente compreender o proveito que as almas têm com essa meditação.

Continue lendo “Uma devoção de luta”

A Comunhão Reparadora do Primeiro Sábado no Brasil

Ao ver as fotos das celebrações do Primeiro Sábado pelo Brasil lembrei das palavras de São Tomás de Aquino, citadas por Dr. Plínio em artigo deste blog “Nossa Senhora do Rosário, uma festa de glória!”

Pe. Mário Beccar Varela, EP

São Tomás define a glória como sendo o efeito que se volta para sua causa e a louva. 

E Dr. Plinio completa afirmando sobre a glória de Nossa Senhora: “louva Maria Santíssima quem vive de acordo com as virtudes das quais Ela deu exemplo, e pratica essas virtudes com o intuito de honrá-La.” Perfeito!

Continue lendo “A Comunhão Reparadora do Primeiro Sábado no Brasil”

Nossa Senhora do Rosário, uma festa de glória!

Uma das linhas mestras da piedade de Dr. Plinio era promover a glória da Santa Mãe de Deus. Por ocasião da festa de Nossa Senhora do Rosário, Dr. Plinio manifesta um de seus mais entranhados desejos

Nós devemos festejar a data que a Igreja dedica a Nossa Senhora do Rosário com um empenho especial pela simples razão de que o Rosário é um dos símbolos mais característicos da piedade cristã.

Houve tempos em que ele pendia dos hábitos de quase todos os religiosos, ele estava no bolso de todas as pessoas católicas, inúmeras eram as pessoas que eram enterradas com ele nas mãos.

Quando se queria simbolizar a piedade, este símbolo era o Rosário.

De maneira que nós devemos olhar para esta festa do Rosário cheios de esperança, e pedir a Nossa Senhora, que ajudou aos cristãos vencerem a Batalha de Lepanto, que nos conceda a graça da vinda do Reino d’Ela, que será também o Reino do Rosário.

Continue lendo “Nossa Senhora do Rosário, uma festa de glória!”

Varão católico apostólico romano!

Neste 03 de outubro lembramos com grande afeto e muitas saudades o falecimento de Dr. Plínio Corrêa de Oliveira, grande líder católico, orientador e mestre espiritual de Mons. João S. Clá Dias. Transcrevemos neste artigo um pensamento seu a respeito de “ser católico”, o que para ele, ser batizado e pertencer à Igreja, era mais importante que a própria vida

Em virtude de uma graça especial concedida por Deus, à medida que eu conhecia a Igreja, a ela me unia sem discutir, com uma adesão serena e profunda.

E quando soube haver gente que colocava em dúvida a divindade e a própria existência de Nosso Senhor, pensei: “Mas terão perdido o bom senso? Basta considerar uma imagem piedosa d’Ele, para perceber tratar-se de uma realidade. Para alguém poder inventá-Lo, precisaria ser maior do que Ele. Ora, ninguém pode ser maior que Jesus Cristo; portanto, não foi inventado”.

Continue lendo “Varão católico apostólico romano!”

Súplica a Nossa Senhora do Amparo

A oração é o mais seguro caminho que nos conduz à salvação. E o primeiro fundamento para compreendermos este valor da oração, no plano da Providência, é considerar como Deus deseja ser, Ele mesmo, o nosso Cirineu


Oração para a semana

Ó Santa Senhora do Amparo, ponde em minha alma, totalmente carecedora de méritos e de forças, uma graça pela qual este vosso escravo confie em Vós cegamente durante a vida inteira. Uma graça que faça desta confiança cega o caminho pelo qual ele realize sua vocação, e chegue até Vós no Reino de Maria e no Reino dos Céus.

Vós bem sabeis que incontáveis vezes este escravo Vos será infiel. Ponde, porém, em minha alma a convicção de que, de antemão, lhe perdoastes tudo, já perdoastes até o inimaginável, e de que depois de cada miséria, Vós abrireis para mim as portas de uma misericórdia nova, mais suave, mais rica e mais insondável do que a anterior. Assim seja. ♦

(Plínio Corrêa de Oliveira. Composta em 4/9/1970)

Cruzados da glória de Maria

O dogma da Assunção de Maria constitui mais uma das afirmações sobre a Santíssima Virgem que A coloca completamente fora de qualquer paralelo com outra criatura, justificando assim o culto de hiperdulia que a Igreja Lhe tributa

Plínio Corrêa de Oliveira

Depois de uma morte suavíssima, a Mãe de Deus ressuscitou e subiu aos Céus na presença dos Apóstolos e de uma grande quantidade de fiéis. Essa Assunção representava uma verdadeira glorificação aos olhos de toda a humanidade até o fim dos tempos, e o prêmio da glória que Ela deveria receber no Céu. Não existindo descrições desse fato, é legítimo fazermos uma composição de lugar imaginando, conforme o gosto de nossa piedade, como a Assunção se passou: a presença dos Apóstolos, todos ajoelhados, rezando, em um ambiente inefavelmente nobre, sublime, recolhido, enquanto o céu enche-se gradualmente de Anjos, e vai tomando, aos poucos, coloridos os mais diversos, com matizações e irradiações magníficas, de maneira a apresentar um espetáculo absolutamente incomparável.

Continue lendo “Cruzados da glória de Maria”