Mensagem de seminarista coordenador do Apostolado do Oratório

Reverendíssimo Pe. Lourenço Ferronatto, EP,

Sua benção!

É com grande alegria que envio a vossa reverendíssima notícias sobre o nosso grupo do Apostolado do Oratório, que já tem 7 anos de fundação. Que se deu justamente a 30 de abril de 2006.

Na época contava dezesseis anos e com grande estima e doação assumi a cordenação deste tão querido projeto iniciado por vós, os Arautos do Evangelho.

O tempo foi passando e a fé e amor do povo a Senhora do Rosário de Fátima só cresceu. Muitas são as graças derramadas ao longo destes 7 anos, inclusive a graça da confirmação de minha vocação ao ministério sacerdotal. Desde de 2008 ingressei no Seminário Arquidiocesano de Natal, no Rio Grande do Norte e minha mãe continua o trabalho de assistência aos membros do grupo em nossa comunidade rural chamada Xique- Xique, que tem como Padroeiro a Santo Antônio e está no território paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Penha de Monte alegre – RN, que dista 35 quilômetros da capital.

A nossa homenagem a Santíssima Virgem, começou na sexta-feira, 11 de maio, e foi até o domingo, 13 de maio, com ofícios de Nossa Senhora, Terços, novenas  procissão em honra da Santíssima Virgem.

Estou enviando a vossa reverendíssima uma foto do aspecto interior de nossa querida capela, no dia 13 de maio, após a procissão e a novena de encerramento.

Desde já agradecemos a vós todos Arautos do Evangelho pelo grande trabalho evangelizador desenvolvido na querida Terra de Santa Cruz.

Em Jesus e Maria,

Robson Paulo de Oliveira Silva

Seminarista do 2º ano de Teologia do Seminario de São Pedro na Arquidiocese de Natal.

Oratório nos comércios – Entrevista

 

Shiguemassa e Cleusa Iamasaki

Oratórios ComércioO casal Shiguemassa e Cleusa Iamasaki, proprietários da Iamasaki Consultoria de Empresas em Maringá –PR, são os supervisores dos Oratórios da região. Com uma boa dose de criatividade eles lançaram a idéia dos Oratórios no comércio: um verdadeiro sucesso!

Pergunta: Como estão organizados os Oratórios na região de Maringá?

Casal Iamasaki: Aqui em Maringá temos muitos Oratórios e nas cidades da região também. Para vocês terem uma idéia, em Mandaguaçu são 27, em Dr. Camargo 25, em Marumbi 25, em Ivatuba 21 e em Cruzeiro do Sul temos apenas 1 Oratório, mas muitos outros pedidos. Em Maringá a maior novidade são os Oratórios no comércio.

Pergunta: Oratórios no comércio? Como funciona esse sistema?

Casal Iamasaki: São 48 Oratórios que percorrem os estabelecimentos comerciais da cidade. Como o comércio não abre aos sábados, domingos e feriados, tivemos que fazer uma adaptação: são 15 estabelecimentos para cada Oratório. Temos lojas, escritórios de advocacia, consultórios médicos, fábricas… Cada um fica dois dias com o Oratório e é uma dificuldade para passar de um para o outro, pois todos querem ficar mais tempo com Nossa Senhora. Eles dizem que quando Nossa Senhora está na loja as vendas aumentam, então todo mundo quer ficar mais tempo com Ela. Há um Oratório que fica em uma empresa só, porque ela é muito grande, em cada dia ele vai para um setor diferente. Outro Oratório fica no Hospital São Marcos, normalmente na Capela, mas também faz visitas para os doentes nos quartos.

Pergunta: Mas que idéia interessante e inovadora!

Casal Iamasaki: Sabe que foi o próprio Arcebispo D. Anuar Batisti que abençoou os Oratórios do comércio? Em um dia marcado, com antecedência, reunimos todos os grupos e ele deu uma bênção especial para todos os participantes.

Pergunta: E como são os grupos das outras cidades?

Casal Iamasaki: Acontece cada coisa nas cidades da região… Em outra cidade na qual temos muitos grupos é Dr. Camargo onde a coordenadora é a Da. Elvira, a primeira dama da cidade, esposa do prefeito. Lá temos 25 Oratórios que percorrem o comércio, as escolas, o Hospital, os escritórios e até a Prefeitura. Um dia Da. Elvira chegou na Prefeitura depois do horário do expediente e havia 5 funcionários rezando o terço de joelhos diante do Oratório, imagine!

 (Extraído do Boletim-informativo “Maria Rainha dos Corações”, n° 30)