A Igreja após o Juízo Final

O rico significado das ações de Jesus

No contato com certas pessoas inteligentes, de boa cultura e, sobretudo, sábias, saboreamos uma grande riqueza em suas palavras e até mesmo em seus gestos e atitudes. A profundeza e a multiplicidade de significado de suas ações são tão substanciosas que às vezes se torna difícil abarcá-las por completo. Quando essa personalidade não é humana nem angélica, mas divina, isso não é apenas difícil, mas totalmente impossível.

Continue lendo “A Igreja após o Juízo Final”

Meditação do Primeiro Sábado de maio 2019

III Mistério Glorioso

Descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os Apóstolos

Chamados a renovar a face da terra

Pentecostes – Catedral de Santa Maria La Real – Pamplona – Espanha

Composição de Lugar

Façamos nossa composição de lugar imaginando a sala onde os Apóstolos de Jesus estão reunidos, juntamente com Nossa Senhora, “perseverando em oração”.

Ali recolhidos, esperam o cumprimento da promessa de Jesus, que lhes enviaria o Espírito Santo. Em determinado momento, eles ouvem um grande ruído semelhante ao de uma forte ventania. Surpresos, veem surgir pequenas labaredas sobre suas cabeças.

Logo se sentem transformados, cheios de Fé, de amor a Deus e de entusiasmo pela missão que o Senhor lhes confiara.

 


Continue lendo “Meditação do Primeiro Sábado de maio 2019”

A fé e a verdadeira paz

II Domingo da Páscoa

É para nosso benefício que os Apóstolos viram Jesus ressurrecto, creram na Ressurreição e dela deram testemunho: para que nós, acreditando, tenhamos a vida eterna

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP. Fundador dos Arautos do Evangelho

“Estando fechadas as portas”

19 Chegada a tarde daquele mesmo dia,
que era o primeiro da semana, e estando
fechadas as portas da casa onde os discípulos
se encontravam juntos, por medo dos judeus,
foi Jesus, colocou-Se no meio deles e disse-lhes:
“A paz esteja convosco!”

Devido a motivos vários, a redação dos Evangelhos, embora de uma precisão insuperável, é sintética. Por um sábio sopro do Espírito Santo, seus autores escolhem não só os termos ideais, como também os aspectos essenciais e mais importantes dos episódios narrados para transmitir aos fiéis a mensagem inspirada. Vemos, por exemplo, como é expressiva esta sucinta afirmação: “Estando fechadas as portas”.

Medo e insegurança dos Apóstolos

Muitos são os comentaristas que ressaltam esse particular. Beda mostra que o motivo da dispersão dos Apóstolos, por ocasião da Paixão — o temor dos judeus —, é o mesmo que os mantém depois reunidos e com as portas fechadas. Segundo Crisóstomo, o medo entre eles deveria ter aumentado de intensidade, ao cair da tarde.

Continue lendo “A fé e a verdadeira paz”

A Ressurreição do Senhor

Domingo da Páscoa na Ressurreição do Senhor

Entre os acontecimentos daquele dia, há episódios que passam muitas vezes despercebidos; porém, bem analisados, revelam em toda a sua força o poder do amor

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP. Fundador dos Arautos do Evangelho

Quia surrexit sicut dicit…”. Tal como havia anunciado aos seus, Jesus ressuscitou (cf. Mt 12, 40; 16, 21; 17, 9; 17, 22; 20, 19; Jo 2, 19-21). Esse supremo fato já havia sido previsto por Davi (cf. Sl 15, 10) e por Isaías (cf. Is 11, 10).

São Paulo ressaltará o valor desse grandioso acontecimento: “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé” (I Cor 15, 14). Daí a importância capital da Páscoa da Ressurreição, a magna festa da Cristandade, a mais antiga, e centro de todas as outras, solene, majestosa e pervadida de júbilo: “Hæc est dies quam fecit Dominus. Exultemus et lætemur in ea — esse é o dia que o Senhor fez, seja para nós dia de alegria e felicidade” (Sl 117, 24).

Continue lendo “A Ressurreição do Senhor”

Somos católicos? Então somos apóstolos!

“Pregue o Evangelho em todo tempo.
Se necessário, use palavras” (São Francisco de Assis)

Ir. Alcidio Miranda, EP

“Cristo pregando aos seus discípulos” – Detalhe do púlpito da Basílica do Sagrado Coração de Jesus, Montreal (Canadá)

Como bem descreveu nosso fundador, no comentário do evangelho deste domingo:

“No mundo de hoje, quantos perdem a Fé, por não aguentarem a pressão do ambiente de ateísmo prático que os envolve? E por isso, em nossos dias, talvez seja mais meritório proclamar a Fé diante do riso irônico de um círculo de pseudoamigos, do que o era ante o rugido das feras no Coliseu, nos primeiros tempos do Cristianismo.”*

Não sejamos assim. Cabe ao católico, onde estiver, em seu ambiente familiar, profissional, escolar, etc, manifestar com segurança, alegria e ufania a sua Fé.

E é assim que tem feito a coordenadora Antonia, de Manaus/MA.

Continue lendo “Somos católicos? Então somos apóstolos!”

A Carta do Reino dos Céus

Comentário ao Evangelho do VI Domingo do Tempo Comum

As bem-aventuranças enunciadas por Jesus mudaram o curso da História e marcaram o início de uma nova era: o Cristianismo. A crueldade do mundo pagão foi assim ferida de morte. E a doutrina da obediência à Lei requintou-se até alcançar um sublime grau: a prática do amor e o desejo de santificação

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP

Os primeiros passos para a fundação da Igreja

Com a eleição dos doze Apóstolos, concluiu Jesus com chave de ouro a primeira fase do ensino. Tornava-se agora necessário expor sua doutrina de maneira metódica, a fim de conferir um embasamento lógico a todas as suas ações e ensinamentos.
E é nessa sequência que se insere o Sermão da Montanha.

Continue lendo “A Carta do Reino dos Céus”