A necessidade da contínua conversão

III Domingo da Quaresma

Deus é Paciência e usa de longanimidade para conosco, dando-nos tempo mais do que suficiente para nos convertermos. Mas, sendo também Sabedoria e Justiça, sabe como e quando castigar

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP

Cristo e os Apóstolos – Museu Episcopal de Arte Religiosa – Cuzco – Peru

Deus quer dar-nos a vida eterna

Deus é sumamente comunicativo e “não cessa de chamar todo homem a procurá-Lo para que viva e encontre a felicidade”. Deseja entrar em contato conosco e tem por nós um amor gratuito, incomensurável e incondicional, que perdoa as infidelidades até o extremo de Nosso Senhor afirmar haver mais alegria no Céu pela conversão de um pecador do que pela perseverança de noventa e nove justos (cf. Lc 15, 7).

“Não quero a morte do pecador, mas que ele se converta e tenha a vida” (Ez 33, 11), diz a Sagrada Escritura. Esse pensamento expresso através da Revelação deve nos encher de confiança, qualquer que seja nossa situação espiritual.

Continue lendo “A necessidade da contínua conversão”

Luta e glória nos são oferecidas por Deus

II Domingo da Quaresma

A vida do homem transcorre num vale de lágrimas, no qual o sofrimento sempre está presente. Para nos sustentar em meio à luta, Deus nos aponta, através de graças sensíveis, o grandioso fim ao qual estamos destinados

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP

Transfiguração por Fra Angelico – Basílica Nossa Senhora do Rosário dos Arautos do Evangelho – Caieiras/SP

Somos chamados “ad maiora”

Ao formar o homem à sua imagem e semelhança (cf. Gn1, 26), Deus destinou-o a ocupar um elevado lugar na criação, inferior apenas ao dos Anjos. O ser humano, como única criatura dotada de inteligência em todo o universo material, possui uma notável superioridade sobre as outras, além da capacidade de dominá-las, transformá-las e utilizar-se delas com sabedoria, tornando mais perfeita a obra do Criador.

Continue lendo “Luta e glória nos são oferecidas por Deus”

Os benefícios das tentações

Comentário ao Evangelho do I Domingo da Quaresma

No deserto, Jesus não foi tentado apenas ao fim dos quarenta dias de jejum, mas ao longo de todo esse período. Quis Ele submeter-Se a essa prova para nos dar exemplo, pois ninguém, por mais santo que seja, é imune à tentação

Monsenhor João Scognamiglio Clá Dias, EP

A luta dos dois generais

Pervadidos de mistério e propícios à meditação, o Batismo do Senhor e a tentação no deserto constituem o pórtico de sua vida pública. Sobre essa matéria muito tem sido escrito ao longo dos séculos, procurando esclarecer seus mais profundos significados.

Fixemos hoje nossa atenção nas tentações sofridas por Jesus. Depois da teofania no rio Jordão, encontramos no deserto dois sumos generais, Cristo e satanás, num enfrentamento face a face. A guerra ali travada tornou-se o paradigma da luta de todo homem durante sua existência terrena, a qual, por sua vez, recebe a influência de um e outro general.

A aceitação de uma dessas influências determina sua vitória ou derrota pessoal. (…)

Continue lendo “Os benefícios das tentações”

Quaresma é também tempo de oração

Quaresma, tempo de penitência e reconciliação, é também tempo de oração, cuja essência, ensina o Catecismo, é a “elevação da mente a Deus”.

Neste contexto quaresmal, o Apostolado do Oratório dos Arautos do Evangelho convidam a todas as famílias que recebem o Oratório de Nossa Senhora de Fátima em Guararema (SP) e região, a participarem da Tarde de Louvor com Maria, que será realizada no próximo sábado, dia 28 de fevereiro, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Escada e São Benedito, pertencente à Diocese de Mogi das Cruzes. Durante todo o evento, haverá sacerdotes para atendimento de Confissões.

Comentar!

Veja também: Vídeo da Tarde de Louvor com Maria em Vila Velha (ES)

Ato para excitar à contrição

Recentemente publicamos uma página dedicada à preparação para uma boa Confissão, útil para qualquer dia do ano, sobretudo na ocasião da Quaresma, tempo muito propício à penitência. Em seu conteúdo encontra-se, entre orações e recomendações, um proveitoso exame de consciência (Clique aqui e saiba mais!).

Como complemento, publicamos hoje uma oração cujo objetivo é estimular o arrependimento do fiel por ter ofendido a Deus, Nosso Senhor.

Ato para excitar à contrição

photo credit: Guervós (+1.000.000 de visitas/views) via photopin cc

Eis aqui, ó meu Deus, vosso filho pródigo que volta contrito ao vosso seio paternal! Que motivos de confusão para mim, misericordioso Senhor e Pai amoroso, ter-Vos tantas vezes ofendido, depois de Vos ter tantas vezes prometido emendar-me! Como me atrevi a pecar na vossa presença, conhecendo quanto Vos desagrada o pecado! Ó meu Deus e meu Pai, perdoai-me e não me castigueis segundo o rigor da vossa justiça; tende piedade de mim, que já não sou digno de ser chamado vosso filho, e aceitai os anseios de um coração pesaroso de Vos ter ofendido e disposto a amar-Vos para sempre. Detesto, Senhor, todos os meus pecados, que são muitos e graves; porque com eles mereci as penas do inferno e ofendi a vossa divina majestade, vossa santidade e vossa bondade infinita. Amo-Vos sobre todas as coisas, meu Deus, meu Pai, meu Salvador, e por amor de Vós quero antes morrer do que Vos tornar a ofender.

Comentar!

Veja também: Preparação para uma boa Confissão