O significado da Quaresma

Altar da Basílica de Nossa Senhora do Rosário dos Arautos do Evangelho – Caieiras/SP

Com a Quarta-feira de Cinzas, iniciamos o tempo da Quaresma. Um período dedicado à reflexão e à conversão. Neste período que estamos iniciando, há alguns pontos que nos ajudarão a viver melhor este tempo de penitência. Por isso, transcrevemos abaixo a palavra de nosso assistente espiritual, onde dirige alguns conselhos para os participantes do Apostolado do Oratório do Imaculado Coração de Maria.

Continue lendo “O significado da Quaresma”

A bondade divina de Nosso Senhor Jesus Cristo

Sacratíssimo Coração de Jesus

Para salvar a humanidade, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade quis Se encarnar, tornando-Se igual a nós em tudo, exceto no pecado (cf. Hb 4, 15). E, ainda que uma lágrima, um gesto ou até um desejo do Homem-Deus fosse suficiente para redimir um número ilimitado de criaturas, Ele Se humilhou a Si mesmo, fazendo-Se obediente até à morte na Cruz, como afirma São Paulo na segunda leitura deste domingo (Fl 2, 6-11). Aquele que, com um simples ato de vontade, poderia ter impedido a ação dos que promoveram sua morte ― bastaria, por exemplo, deixar de sustentar o ser deles, fazendo-os voltar ao nada ―, aceitou todos os ultrajes descritos por São Mateus no Evangelho da Missa.

Experimentamos aqui a misericórdia de Deus, infinitamente solícito em nos perdoar. Se um só de nós houvesse incorrido em alguma falta e todos os demais homens fossem inocentes, teria Ele padecido igual martírio para resgatar esse único réu! Como aponta o padre Garrigou-Lagrange, no mistério da Redenção “as exigências da justiça terminam por se identificar com as do amor, e é a misericórdia que triunfa, porque é a mais imediata e profunda expressão do amor de Deus pelos pecadores”.(1)

1) GARRIGOU-LAGRANGE, OP, Réginald. El Salvador y su amor por nosotros.
Madrid: Rialp, 1977, p.312.

Fonte: Inédito sobre os Evangelhos, Vol. I – João Scognamiglio Clá Dias, EP – pg. 252.

Comentar!

Veja também: O Pastor ama e conhece profundamente suas ovelhas

Um altíssimo privilégio concebido por Deus desde toda a eternidade

A grandeza de Maria aparece com maior evidência no trecho da Carta aos Gálatas escolhido para a segunda leitura (cf. Gal 4, 4-7), no qual São Paulo sublinha que Nosso Senhor Jesus Cristo nasceu de uma mulher: “Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à Lei, a fim de resgatar os que eram sujeitos à Lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva” (Gal 4, 4-5).

Se humanizarmos um pouco a figura de Deus, como tantas vezes o faz a Escritura, podemos imaginá-Lo esperando “o tempo previsto” para o nascimento da Mãe do Redentor. Mas, na realidade, Ele — para quem tudo é presente — concebeu eternamente a obra da criação e, no centro desta, num só ato de sua vontade divina e num mesmo e idêntico decreto, predestinou a Jesus e Maria.4 Portanto, no plano da Encarnação do Verbo, estava também contido o dom singularíssimo da maternidade divina de Nossa Senhora. Ambos, Mãe e Filho, inseparáveis, são a arquetipia da criação, a causa exemplar e final em função da qual todos os outros homens foram predestinados, “para a glória dos dois, como um cortejo real para Eles”.5

Isto nos faz compreender porque, dentre os incontáveis privilégios de Maria — dos quais a abundante coletânea de títulos acumulados pela piedade católica para louvá-La nos dá uma pálida ideia —, o principal é o de ser Mãe de Deus. Comparados com este, todos os outros são ínfimos! Deus poderia ter escolhido um meio distinto para assumir nossa natureza e estar entre nós, mas Ele quis tomar Nossa Senhora como Mãe. Para uma pessoa humana é impossível uma prerrogativa superior a esta, e por isso, como ensina São Tomás,6 Ela Se encontra na categoria das criaturas perfeitas, à qual pertencem apenas duas mais: a humanidade santíssima de Jesus e a visão beatífica. Este privilégio toca na essência mais profunda de Maria e é dele que Lhe defluem os demais.

(Fonte: Inédito sobre os Evangelhos – Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP., Vol VII – páginas 15 e 16.)

Comentar!

Veja também: Conheça a coleção “O Inédito sobre os Evangelhos”

Novos Terciários dos Arautos do Evangelho

No dia 07 de dezembro, no município de Caieiras (SP), realizou-se na Igreja Nossa Senhora do Carmo, pertencente à Sociedade Feminina de Vida Apostólica Regina Virginum, solene Celebração Eucarística presidida pelo Revmo. Pe. Aumir Scomparin, EP.

Durante a Celebração, foram admitidos 13 novos cooperadores ( terciários ) da Associação Privada de Fiéis de Direito Pontifício Arautos do Evangelho. O clima de graça e compenetração podia-se notar nas fisionomias daqueles que assumiram o compromisso de serem “Fiéis Mensageiros do Evangelho” (São João Paulo II).

Sendo véspera da solenidade da Imaculada Conceição, 53 pessoas estabeleceram com Jesus, pelas mãos de Maria, um vínculo de união mais estreita, através da Solene Consagração a Jesus Cristo pela Mãos de Maria Santíssima, segundo o método ensinado por São Luís Maria Grignion de Montfort.

 Abaixo demais imagens do evento:

Comentar!

Veja também: Visita de integrantes do Apostolado do Oratório ao Hospital Geriátrico Dom Pedro II

Ladainha de Nossa Senhora das Dores

photo credit: il Bambino III via photopin cc

Senhor, tende piedade de nós.

Cristo, tende piedade de nós.

R/. Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos.

R/. Jesus Cristo, atendei-nos.

Deus, Pai dos Céus, tende piedade de nós.

Deus Filho, Redentor do mundo,

Deus Espírito Santo,

Santíssima Trindade, que sois um só Deus,

Santa Maria, rogai por nós.

Santa Mãe de Deus,

Santa Virgem das virgens,

Mãe crucificada,

Mãe dolorosa,

Mãe lacrimosa,

Mãe aflita,

Mãe abandonada,

Mãe desolada,

Mãe despojada de seu Filho,

Mãe transpassada pelo gládio,

Mãe consumida pelo infortúnio,

Mãe repleta de angústias,

Mãe com o coração cravado na Cruz,

Mãe tristíssima,

Fonte de lágrimas,

Auge do sofrimento,

Espelho de paciência,

Rochedo de constância,

Âncora da confiança,

Refúgio dos desamparados,

Escudo dos oprimidos,

Vencedora dos incrédulos,

Conforto dos miseráveis,

Remédio dos enfermos,

Fortaleza dos fracos,

Porto dos náufragos,

Bonança nas borrascas,

Recurso dos aflitos,

Terror dos que armam ciladas,

Tesouro dos fiéis,

Vista dos Profetas,

Báculo dos Apóstolos,

Coroa dos Mártires,

Luz dos Confessores,

Pérola das Virgens,

Consolação das viúvas,

Alegria de todos os Santos,

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,

R/. perdoai-nos, Jesus.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,

R/. atendei-nos, Jesus.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,

R/. tende piedade de nós, Jesus.

Oremos: Velai por nós, defendei-nos, preservai-nos de todas as angústias, pela virtude de Jesus Cristo. Amém.

Comentar!

Veja também: Por ocasião da Quaresma, oração à Virgem das Lágrimas