Três visitações, dois modelos, uma escolha…

São Lucas relata no seu Evangelho a encantadora cena do encontro da Virgem Maria com sua prima Isabel, as quais gestavam uma prole a elas confiada de forma milagrosa


O diálogo entre ambas é tão elevado que não se tornou apenas objeto de consideração ocasional por parte da Liturgia, mas deu origem a duas das principais orações da Santa Igreja.

As palavras de Santa Isabel figuram na Ave-Maria, e a resposta de Nossa Senhora converteu-se no cântico de ação de graças por antonomásia. Hino paradigmático da perfeita restituição a Deus, o Magnificat é tão rico em ensinamentos que até hoje se explicitam sobre ele novos tesouros.

Continue lendo “Três visitações, dois modelos, uma escolha…”

Será possível comprar o Céu?

Pe. Carlos Alberto Soares Corrêa

A pergunta pode causar arrepio. É claro que o Céu não se compra o dinheiro. No entanto, ele tem o seu “preço”… Qual a “moeda” que tem valor para Deus? Uma bela história, ocorrida na Alemanha, durante a Idade Média, responde a esta questão.

Gertrudes era uma freira muito devota de Nossa Senhora. Entre as práticas de piedade mariana que cultivava, encantava-a sobretudo a Ave-Maria ou “Saudação Angélica”. Certo dia estava rezando em seu quarto, quando este se iluminou com uma luz mais intensa que a do sol. Era o próprio Jesus que vinha conversar com ela. Apesar da majestade da aparição, Santa Gertrudes – pois é dela que falamos – não interrompeu as orações. Notou, com surpresa, que a cada “Ave-Maria” recitada, Jesus colocava sobre uma mesa uma linda moeda, de um ouro todo especial, de um brilho não conhecido nesta terra. Após alguns instantes, perguntou ela ao Salvador:

– Senhor, que fazeis?

– Gertrudes, cada Ave-Maria que você reza lhe obtém uma moeda de ouro para o Céu. Sim, minha filha, esta é a moeda com a qual se compra o Paraíso.

Orvalho celestial e divino

A Ave-Maria é o cântico mais belos que podemos entoar em louvor da Mãe de Deus. Quando a rezamos, louvamos Nossa Senhora por ser um precioso escrínio, cheio das graças de Deus, de onde se derramam sobre nós; louvamo-La por ser a escolhida do Senhor, o que a faz bem-aventurada acima de todas as mulheres; louvamo-La, ainda, pela magnífica encarnação, em seu claustro materno e virginal, do próprio Verbo de Deus.

Filha dileta do Pai, Mãe admirável do Filho, Esposa fidelíssima do Espírito Santo. Essa é Maria, a criatura mais amada, incomparavelmente acima de qualquer outra, pela Santíssima Trindade.

Assim, as honras prestadas à Santíssima Virgem são supremamente agradáveis a Deus. De outro lado, Nossa Senhora é mãe carinhosa e solícita: sempre que rezamos a Ave-Maria, Ela nos dá o melhor dos seus presentes, que são as graças das quais transborda. Por isso, os santos mais devotos da Mãe de Deus chamavam esta preciosa oração de orvalho celestial e divino. Sabemos que o orvalho da madrugada torna a terra fecunda, dando-lhe a possibilidade de produzir os frutos mais deliciosos.

A Saudação Angélica é como um orvalho que prepara nossas almas para praticar as virtudes mais difíceis e mais maravilhosas: a Fé, a Esperança, a Caridade ou Amor de Deus, a Pureza. Fecundadas por esse magnífico orvalho, nossas almas tornam-se belas e agradáveis a Deus.

Além desse precioso fruto, ela nos comunica uma alegria interior, indispensável para enfrentar os dramas do nosso mundo tão agitado.

Um grande devoto de Maria disse estas consoladoras palavras: “Estás aflito? Reza a Maria; Ela converterá tua tristeza em gozo e tuas aflições em consolo”.

Concluamos com o que disseram a esse respeito os maiores pregadores da devoção a Maria Santíssima: a Ave-Maria é um ósculo casto e amoroso que se dá em Maria, é apresentar-Lhe uma rosa vermelha, é oferecer-Lhe uma pérola preciosa, é dar-Lhe uma taça de néctar divino.

Comentar!

Benefícios da reza do Rosário sobre a saúde

Há 15 anos, o Dr. Luciano Bernardi, da Universidade de Pavia, na Itália, interessava-se pelos ritmos autônomos do corpo que formam a base da fisiologia: o ritmo da respiração, as variações do ritmo cardíaco – que acelera ou desacelera de um batimento ao outro e segundo os momentos do dia – , os aumentos e diminuições da pressão arterial, e mesmo as variações de fluxo e refluxo do sangue em direção ao cérebro. Ele sabia que um bom equilíbrio desses diferentes biorritmos é o melhor indicador de boa saúde que se conhece, capaz de prever a sobrevida a quarenta anos de distância, segundo certos estudos. Quanto mais suas variações forem amplas e regulares, mais as funções do corpo produzem uma pulsação que parece ser a própria expressão da vida.

Rosario - BlogQuando as cobaias do Dr. Bernardi começaram a recitar uma ladainha da Ave-maria em latim, os aparelhos registraram um fenômeno totalmente inesperado: todos os ritmos biológicos medidos entraram em ressonância. Alinhavam-se todos uns sobre os outros, amplificavam-se mutuamente e terminavam se harmonizando. Longe de acreditar em um milagre, o Dr. Bernardi descobriu algo tão simples quanto essencial: na Itália, a assembléia recita o rosário em alternância com o Padre. Cada enunciado se faz com uma única expiração, e a inspiração seguinte se faz durante a vez do Padre. As cobaias tinham, com toda naturalidade, adotado o ritmo que lhes era habitual. Procedendo desse modo, elas se fixaram mecanicamente – sem ter consciência – em uma frequência de seis respirações por minuto. Pois bem, tratava-se precisamente do ritmo natural de flutuação das outras que ele se propunha a medir (coração, pressão arterial, fluxo sanguíneo no cérebro), e por isso todas tinham entrado em ressonância.

Livro: Anticâncer | Prevenir e vencer usando nossas defesas naturais – O Rosário (Páginas 196 e 197) – Autor: David Servan-Schreiber